camara dep

Os 39 deputados federais da bancada baiana votaram para manter o dispositivo apresentado pelo senador Otto Alencar (PSD) no Senado que mantém, dentro da reforma tributária, incentivo fiscal para a instalação de montadoras de automóveis no Norte, Centro-Oeste e Nordeste do país, beneficiando diretamente a chinesa BYD. Por um voto, o benefício havia sido rejeitado durante a primeira etapa da apreciação da reforma, em julho, na Câmara, quando o deputado Otto Alencar Filho (PSD) foi o único baiano contrário.

Na época, Otto Alencar havia atribuído o voto do filho a um erro. Mas o deputado disse que se posicionou de forma consciente, pois defendia um prazo indeterminado para o incentivo. Quando a reforma chegou ao Senado, o senador baiano restabeleceu, via emenda, o dispositivo.

Durante a votação final de sexta (15), na Câmara Federal, o bloco formado por MDB, PSD, Republicanos e Podemos apresentou o destaque para retirar o benefício, por pressão dos governadores do sul e sudeste, sobretudo o de São Paulo, Tarcísio de Freitas (PL). Porém, a emenda foi mantida, desta vez com o voto favorável de Otto Filho, mesmo se tratando exatamente a mesma proposição de julho. Foram 341 votos favoráveis – o mínimo necessário eram 308. A votação foi remota.

Com isso, montadoras como a BYD, que vai se instalar em Camaçari, e a Stellantis (grupo dono das marcas Fiat, Jeep e Peugeot), que planeja implantar unidades em Goiás e Pernambuco, terão, até 2032, abatimento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Durante a reforma tributária nesta sexta, a BYD, no entanto, sofreu uma derrota com a retirada do texto da prorrogação do mesmo incentivo para “a produção de partes de peças” destinadas aos veículos elétricos ou híbridos. O destaque para a retirada do benefício também foi apresentado pelo bloco do MDB, PSD, Republicanos e Podemos. Política Livre