Joilson César / BNews

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT), disse o que pensa sobre o debate da PEC da Reeleição no país. Recentemente o petista entrou em colisão com a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, após defender que o Congresso aprove rapidamente uma proposta que acabe com o mecanismo nas eleições para cargos no Poder Executivo.

” Essa PEC eu diria que tende a ser uma unanimidade. Acho que é um reconhecimento geral que a reeleição não foi um bom instituto para a política brasileira. Evidentemente, que tem que se ver como é que você introduz a não reeleição para não ofender direitos ou expectativas de direitos. A tendência dos debates que é entendido é jogar ela para 2030″, disse o senador.

“Há uma tese também da coincidência de todas as eleições, de vereador a presidente da república, com a qual eu sou amplamente favorável. Eu acho que não dá para de dois em dois anos ter eleição. Então o que está se confirmando é cinco anos de mandato sem reeleição, podendo ou não ter coincidência de todas as eleições num dia só. Aí você teria cinco anos. Eu diria assim, sem a disputa política podendo cuidar da gestão, mas essa é a tendência que está dominando e não vejo ninguém contra não”, completou.

A opinião de Wagner não é a mesma de Gleisi, que considera o fim da reeleição como uma ação “oportunista”. Em dezembro, a presidente se queixou da iniciativa e criticou diretamente o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), que tem se manifestado a favor da proposta. “Mesmo que seja para valer só a partir de 2030, a proposta para acabar com a reeleição de presidentes é oportunista e representa um retrocesso na representação democrática da maioria da população”, disse Gleisi nas redes sociais em dezembro. BNews