Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Após uma semana conturbada para o governo federal – incluindo suposta “fritura” do ministro da Fazenda, Fernando Haddad; e a votação de urgência na Câmara dos Deputados do projeto que equipara aborto a homicídio -, não há previsão de tranquilidade em Brasília. Conforme Lauro Jardim, no O Globo, a avaliação pessimista é de um assessor graduado com assento no Palácio do Planalto. “Não tem ninguém para organizar o funcionamento do governo. O Lula não faz isso. O Rui [Costa] muito menos. Então, a tendência é tudo ficar mais desorganizado ainda e as disputas internas recrudescerem”, avaliou a fonte, que não vê no horizonte uma solução para melhorar a relação do Executivo com o Congresso. Bahia.Ba