Alan Santos/PR

Dirigentes de partidos de centro e centro-direita que deram suporte ao governo de Jair Bolsonaro chegam ao fim desta semana fazendo um balanço sobre a situação jurídica e política do ex-presidente, que vê uma série de apurações fechando o cerco contra ele, aliados e familiares. Para um presidente de partido do centrão, a “mediocridade dos esquemas” suspeitos até agora tem acelerado o desgarramento de pessoas que não estão no núcleo radical do bolsonarismo, inclusive na política, antecipando a busca por opções “racionais e viáveis para 2026”. Um outro dirigente ouvido pelo blog concorda com a avaliação e diz que essa percepção se tornará palatável já nas eleições municipais do ano que vem, quando ele prevê um apequenamento da escolha de representantes de uma direita radical. A “lua minguante” para o bolsonarismo radical amplia os olhares sobre opções viáveis nos governos estaduais: além de Tarcísio de Freitas (SP) e Romeu Zema (MG), Ronaldo Caiado (GO) é lembrado como opção. G1