Respeitando todos os protocolos sanitários no combate a Covid-19, as comemorações alusivas aos 130 de emancipação política de Aratuípe, no recôncavo baiano, contou com uma programação especial nesta quarta-feira (9), começando com a tradicional alvorada, apresentação de filarmônica, hasteamento da bandeira e sessão solene que contou com a presença do prefeito Tone (PCdoB), secretários de governo e vereadores. Quem também marcou presença foi o prefeito Gileno (PP), do município de Muniz Ferreira, o deputado estadual Alan Sanches (DEM), a deputada estadual Maria Del Carmen (PT) e o secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado Nelson Pelegrino. E no aniversário da cidade, a gestão municipal entregou toda revitalizada a Praça José Alves da Silva, que ganhou iluminação moderna, novo parquinho e um belo paisagismo. A prefeitura também adquiriu dois novos veículos. “Pra mim é uma satisfação inenarrável, algo indescritível, estar aqui na condição de gestor da minha cidade comemorando mais um ano de emancipação política. É óbvio que minha cidade ainda não se encontra do jeito que a gente gostaria que estivesse, mas é só o início de um trabalho, só o início de um processo, há um projeto em construção, o projeto está se iniciando, um processo de renovação”, disse o prefeito Tone, que na oportunidade falou sobre as realizações à frente da Prefeitura. “Nós estamos entregando agora a primeira parte da requalificação da Praça José Alves da Silva, estamos entregando dois veículos novos para a área da saúde, mesmo com as dificuldades nós conseguimos avançar, estamos buscando melhorar a estrutura de saúde do nosso município entregando um kit odontológico todo equipado, também aparelhos de eletrocardiograma para melhorar a qualidade de saúde, diagnóstico da nossa gente, há muito trabalho, mas há muita disposição para realizar esse trabalho. Aratuípe está de parabéns, seu povo está de parabéns, tem muito o que fazer e vamos à luta”.

Aratuípe e seu passado

Elevada à condição de cidade em 1891, Aratuípe está localizada na Baía de Todos-os-Santos, entre os municípios de Nazaré e Santo Antônio de Jesus. É em Aratuípe que se encontra o distrito de Maragogipinho, berço da cerâmica baiana. O município é responsável por uma parcela representativa da produção de artesanato do estado, com peças tradicionais de barro, como cestos entrelaçados preenchidos com pequenas contas, conchas, pedras ou feijões, além de talhas, porrões, moringas, louças diversas e objetos de decoração feitos em tornos manuais e assados no forno, também artesanal.

Aratuípe mantem viva a tradição de confeccionar peças em barro que apresentam em sua forma nítidas influências indígenas e portuguesas.  Além das olarias locais, a arte pode ser vista durante a Feira dos Caxixis, que acontece anualmente na cidade de Nazaré, no período da Semana Santa e recebe artesãos e visitantes de inúmeras partes do país e do exterior e conta com muitas atrações da cultura popular.

História – Sua origem remonta à Aldeia de Santo Antônio, pertencente ao município de Nazaré e organizada no século XVI para catequizar os índios da região. A localidade chegou a ser visitada até por D. Pedro II, em novembro de 1859. Em 1890 foi elevada à condição de vila e em 1890, sendo posteriormente transformada em cidade.

Economia – Economia local é baseada principalmente na produção artesanal de produtos cerâmicos, como potes, panelas, telhas e tijolos e na extração de piaçava e dendê e culturas agrícolas.

População – 8.520 habitantes

Gastronomia – Frutos do mar

Artesanato – Cerâmica, Caxixis