agencia senado

Mauro Cid esteve na sexta (8) no escritório de seu advogado, o criminalista Cezar Bitencourt, para alinhar as expectativas sobre o depoimento que ele vai prestar à Polícia Federal na segunda-feira (11) a respeito da trama golpista que cerca o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus principais aliados, inclusive nas Forças Armadas.

O depoimento é alvo de forte expectativa porque acontecerá após o ex-comandante do Exército, Freire Gomes, ter falado à PF por mais de oito horas e implicado, segundo apurou Míriam Leitão, Bolsonaro diretamente na cena golpista que culminou com o 8 de janeiro de 2023.

Segundo o blog apurou, investigadores acreditam que, com um volume considerável já de provas em mãos e os apontamentos de Freire Gomes, Cid pode ajudar a fechar um complexo quebra-cabeças golpista.

“O delegado que conduz o caso é quem sabe as perguntas que vai fazer. De minha parte, o que posso garantir é que tudo o que o Cid souber, tudo o que ele tiver conhecimento, o que conseguir explicar, ele vai fazer. Ele vai falar”, garante Cezar Bitencourt.

Cid, que voltou a ser alvo de ataques por bolsonaristas radicais, acusado de traição, foi orientado a ficar longe das redes sociais. “O trabalho é técnico. O foco é no trabalho e no que diz o Direito”, finaliza o defensor. G1