Vagner Souza/BNews

Apesar de não ter sido atingida pelo rompimento da barragem do Quati, na quinta-feira (11), a cidade de Pedro Alexandre, a cerca de 435 quilômetros de Salvador, está apreensiva com a situação. O clima entre os moradores é de medo já que não se fala em outra coisa na localidade que não seja o acidente que inundou o município vizinho, Coronel João Sá, deixando mais de 100 famílias desabrigadas.

“Descendo para a Rua Velha tem um esgoto que precisa ser desentupido para a água da barragem passar. O pessoal aqui tá tudo assustado”, relatou o agente de saúde Roberto Nunes ao BNews. A preocupação dele é a mesma do comerciante José Correia que teme que o rompimento volte a ocorrer e atinja, desta vez, a sede do município com pouco mais de 22 mil habitantes.

“Estamos todos assustados. Estamos com medo de a cidade ficar na mesma situação de Coronel João Sá. Tem três barragens aqui na serra e se uma delas estourar vai descer tudo pra aqui e vai acabar com a cidade. E caso isso aconteça a Rua Velha vai ser mais atingida”, contou. Já o pedreiro Erinaldo Santos lamenta o ocorrido. Segundo ele, as barragens existentes na região são fonte de renda para muitas famílias.

“A cidade está toda comovida o que ocorreu com a nossa vizinha João Sá. Ficamos constrangidos pelo ocorrido e ao mesmo tempo apreensivos com toda essa situação. É lastimável porque essas barragens são fonte de sustento e alimentação para muitas famílias”, desabafou.

Apesar do clima de tensão entre os moradores, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Telles, assegurou à reportagem que após as vistorias e trabalhos realizados nas barragens é possível afirmar que a situação está sob controle. “Nós não temos nesse momento nenhum indicativo de que haja problema imediato nas barragens”, explicou.

A região possui dezenas de barragens administradas por associações de moradores. De acordo com o prefeito de Pedro Alexandre, Pedro Gomes (PSD), 42 barragens foram instaladas na cidade em 2000, no entanto, 80% delas continuam em funcionamento. Segundo o gestor, após o rompimento da barragem do Quati, a prefeitura retirou os moradores de áreas próximas ao equipamento. Bocão News