Foto: Washington Costa/Ministério da Economia

Auxiliar do ministro da Economia, Paulo Guedes, Daniella Marques já foi escolhida pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir a Caixa Econômica Federal. A informação é do colunista Igor Gadelha, do site Metrópoles. Ainda neste cargo, o presidente da CEF durante todo o mandato de Bolsonaro, Pedro Guimarães é investigado pelo Ministério Público Federal por acusação de assédio sexual contra funcionárias do banco. Pelo menos cinco relatos sustentam a denúncia.

A revelação do caso, na terça-feira (28), gerou uma pressão dentro e fora do governo pela demissão de Guimarães. O acusado conversou ao menos duas vezes com Bolsonaro. Uma na noite de terça-feira (28/6), no Palácio da Alvorada, e outra na manhã desta quarta, no Palácio do Planalto. Nesta quarta, ele apareceu em evento do banco, acompanhado da esposa. “São quase 20 anos juntos, dois filhos, uma vida inteira pautada pela ética”, disse, no discurso.

O presidente Jair Bolsonaro escolheu uma mulher para assumir a presidência da Caixa Econômica Federal no lugar de Pedro Guimarães, acusado por um grupo de funcionárias do banco de assédio sexual.

Daniella Marques comanda, desde fevereiro de 2022, a Secretaria de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia. Formada em administração pela PUC do Rio de Janeiro, a escolhida para presidir a CEF atuou por 20 anos no mercado financeiro antes de entrar no governo. Ela foi sócia de Guedes na Bozano Investimentos, de onde saiu em 2019 para ir trabalhar com Paulo Guedes no governo federal.  Com informações do G1