(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

O Bahia segue sem pontuar no Campeonato Brasileiro. Na primeira partida como mandante, o Esquadrão caiu diante do Botafogo por 2×1, na noite desta segunda-feira (24), na Fonte Nova, e acumulou a segunda derrota em dois jogos na Série A. O tricolor criou boas chances na partida, mas abusou dos erros no ataque.

Júnior Santos abriu o placar para o Botafogo, quando o Bahia era melhor no jogo. Ainda no primeiro tempo, Jacaré deixou tudo igual com um belo gol. Mas no segundo tempo, o tricolor voltou a repetir o roteiro, falhou na conclusão das jogadas e foi surpreendido pelo gol de Tchê Tchê, que deu a vitória ao alvinegro carioca.

Ainda sem pontuar no Brasileiro, o time baiano dará um tempo na competição. O próximo compromisso é contra o Volta Redonda, quinta-feira (27), às 19h, na Fonte Nova. É o jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. Na ida, o Bahia ganhou por 2×1.

FALTOU CAPRICHO
Na estreia do Bahia como mandante no Brasileirão, Renato Paiva precisou fazer mudanças. Vitor Hugo, Thaciano e Kanu desfalcaram o time. David Duarte ficou com a vaga na defesa. No meio-campo, Acevedo voltou a ser titular. O atacante Ademir também foi mantido, enquanto Biel ficou no banco.

Com o mando de campo ao seu favor, o Bahia iniciou o duelo apostando no jogo de velocidade, com transições rápidas no ataque. O tricolor usava, principalmente Ademir do lado direito e Cauly pela esquerda para chegar ao ataque. Aos poucos a estratégia foi se mostrando eficiente. Faltava ao tricolor acertar na hora de definir.

Na escapada em velocidade, Ademir foi na linha de fundo em boa condição, mas errou o cruzamento. Pouco tempo depois, Cauly fez a jogada individual, driblou o marcador e deu passe açucarado para Ademir. Dentro da área, o camisa 7 chutou para fora.

Ademir, aliás, foi quem teve as melhores chances no primeiro tempo. Aos 23 minutos ele puxou rápido contra-ataque, ganhou da marcação, mas de cara com Lucas Perri chutou fraco e facilitou a defesa.

O gol tricolor parecia cada vez mais perto, mas aí veio o banho de água fria. Em uma das poucas chegadas do Botafogo, Júnior Santos saiu fazendo fila na defesa do Bahia, tabelou na entrada da área e ainda ganhou da marcação de David Duarte antes de abrir o placar para o alvinegro, aos 28 minutos.

O Bahia sentiu o gol. O Esquadrão perdeu um pouco da intensidade inicial e viu o adversário ficar mais à vontade em campo. Quando o time baiano voltou a incomodar no ataque, o gol saiu.

Aos 41 minutos, Chávez cruzou rasteiro do lado esquerdo para Jacaré na outra quina da área. Ele deixou Victor Sá no chão, bateu de canhota e empatou. Como de praxe, o atacante foi muito festejado pela torcida. Antes do fim da primeira etapa, o Bahia ainda pediu pênalti em Ademir. O VAR checou o lance e mandou seguir.

ERRO DE MARCAÇÃO
O empate acendeu o time da casa, que voltou do intervalo sem alterações, mas com postura mais ofensiva. Com menos de um minuto, Cauly fez boa jogada, e o chute ficou nas mãos de Lucas Perri.

Não demorou muito e Renato Paiva fez a primeira mudança. Biel foi para o jogo na vaga de Ademir. A estrela do atacante quase brilhou logo na sua primeira participação. O camisa 11 recebeu lançamento muito ‘esticado’ e tentou driblar o goleiro Lucas Perri, que conseguiu cortar.

A partida passou por uma queda de intensidade em parte do segundo tempo, com poucas chances criadas pelas duas equipes. O Bahia reapareceu com perigo aos 28 minutos. De novo com Biel. Dessa vez, Lucas Perri fez defesa salvadora no chute forte. O roteiro, aliás, repetiu o da primeira etapa.

O tricolor quase não era incomodado pelo Botafogo, até que aos 32 minutos o volante Tchê Tchê tabelou, mandou uma bomba da entrada da área e acertou o canto de Marcos Felipe. Foi o gol da vitória botafoguense por 2×1.

Renato Paiva partiu para o tudo ou nada e desfez a trinca de zagueiros colocando Kayky no lugar de David Duarte. O meia Daniel também entrou na vaga do volante Acevedo. Kayky teve uma chance clara dentro da área, mas perdeu tempo e espaço ao cortar para a perna esquerda ao invés de chutar com a direita e bateu fraco, pra fora. O Bahia saiu de campo derrotado e ouviu vaias da torcida. Correio da Bahia