Foto: Pexels

Quanto mais perto da alta estação, mais expectativas e planejamentos são criados para curtir o verão e as festas de final de ano, que costumam movimentar a economia das cidades baianas. No estado, os eventos são esperados não apenas pelo setor de comércio e serviços, mas também por aqueles que buscam uma chance, ainda que temporária, no mercado de trabalho. Neste ano, cerca de 5 mil vagas temporárias devem ser geradas pelo comércio, segundo estimativas do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas).

De acordo com Paulo Motta, diretor do Sindilojas, a projeção é equivalente ao número de vagas temporárias oferecidas em 2022. “No ano passado, 10 mil vagas temporárias foram previstas, mas só alcançamos, em média, 5 mil. Para esse ano, fomos mais cautelosos e esperamos 5 mil. […] Essa projeção de geração de emprego é realmente muito menor em comparação ao que sempre previmos em anos anteriores, mas, de qualquer maneira, é uma confiança que estamos tendo em melhor comportamento das vendas no fim do ano”, afirma.

Ele ainda aponta que as projeções para a economia no último semestre do ano são instáveis diante do momento atual, período em que os consumidores estão focados em sanar suas inadimplências – graças às iniciativas do Governo Federal – para só então retomarem o acesso ao crédito. Ainda assim, há esperança de que haverá uma saída para quem planeja encontrar uma vaga temporária no final do ano em virtude do pequeno crescimento previsto para o comércio baiano.

“Nós estamos confiantes de que vamos ter uma expectativa mais positiva na Black Friday, bem como no próprio comportamento das vendas de dezembro. Também estamos confiantes de que vamos ter uma situação mais favorável para gerar emprego temporário e atender a demanda de fim de ano com a expectativa de crescimento de vendas de 10% do comércio baiano. É uma realidade cuidadosa, mas possível e exequível diante do que estamos enfrentando quanto a situação dos juros, do crédito e da recuperação do consumidor para o mercado”, destaca Paulo Motta.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA) foi procurada para informar a expectativa para o comércio do estado no último semestre deste ano e informou que estimativas serão divulgadas ao longo de outubro. A entidade também foi procurada para informar a previsão de vagas temporárias nos próximos três meses e respondeu que não faz levantamentos ou projeções do tipo.

A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e a Associação de Lojistas da Bahia também foram questionadas quanto a quantidade de vagas temporárias previstas para este ano, mas não responderam. Já a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) disse que a projeção para o último semestre deve ocorrer no dia 16 de outubro, mas apenas com recortes regionais.

Vagas

As principais oportunidades de trabalho temporário serão oferecidas para distribuidores, repositores, empacotadores, vendedores e caixas. Segundo o presidente da Sindilojas, essas são as funções mais demandadas pelos lojistas e pelos setores de bens e serviços. Com contratos de três meses – tempo que compreende os meses de novembro a fevereiro –, os candidatos selecionados para as vagas devem receber salários que giram em torno de R$1,4 mil, seguindo o piso vigente. A possibilidade de efetivação é concreta e deve contemplar pelo menos 20% dos contratados temporariamente. Na projeção atual, isso corresponde a 1 mil baianos.

Com mais de 50 vagas abertas para reforçar o time de colaboradores da loja da Avenida Paralela durante o fim de ano, o Home Center Ferreira Costa tem vagas para caixa, atendente, vendedor, auxiliar de depósito (carga e descarga) e auxiliar de serviços gerais. A primeira etapa do processo seletivo para a vaga ocorre através da inscrição no site de carreira da Ferreira Costa. Os inscritos vão passar por uma seleção online, que inclui teste comportamentais e entrevistas com o time de Recrutamento e Seleção.

De acordo com a supervisora de Recursos Humanos, Glenda Ramos, as vagas sazonais de fim de ano podem ser uma oportunidade para ingressar na empresa e fazer carreira. Ela ressalta que algumas qualidades são importantes para se destacar e crescer, como proatividade, comprometimento, bom atendimento ao cliente e boa comunicação. “As vagas são para todos aqueles que estão em busca de um trabalho, querem ganhar experiência ou retornar ao mercado profissional, além de ser uma oportunidade para Pessoas com Deficiência (PCDs)”, diz Glenda.

No restaurante Healthy, situado no Salvador Shopping, cerca de 10 vagas devem ser abertas para cozinha, confeitaria e atendimento no período do Natal. O currículo do candidato ideal requer experiência, pois, segundo afirma a proprietária Victoria Cintra, não há tempo para treinamento. “Como é para essa época, nós preferimos que sejam pessoas com experiência na cozinha e com experiência em vendas para quem vai ficar no atendimento. Aqui, sempre tem chance de efetivação, porque sempre alguém se destaca”, pontua.

O mesmo ocorre na Palato Especiarias, rede referência em produtos naturais, decoração essências na Bahia, que chega a ter o triplo de demandas no final do ano. Ao total, cerca de 24 vagas para atendimento ao público devem ser disponibilizadas em todas as quatro unidades da loja, conforme projeta o sócio proprietário Pedro Lisboa. “No ramo de gêneros saudáveis, nós buscamos pessoas que conheçam um pouco da alimentação saudável, faça exercício físico e viva um pouco a cultura da empresa. Preciso de pessoas que falem bem para atender o cliente, tenham um sorriso cativante e faça bons atendimentos”, elenca.

Já nas 13 unidades da Track&Field, loja especializada na venda de vestuário esportivo, cerca de 40 funcionários temporários serão contratados durante a alta estação. “Nós temos um fluxo grande de presenteáveis de final de ano e fluxo de verão. [Dos] 105 a 110 funcionários, saltamos para quase 150 entre novembro e janeiro”, conta Matheus de Medeiros, franqueado da marca em Salvador.

Oportunidade de carreira

Desempregada em 2019, Naiara Barros, 29 anos, se candidatou à vaga temporária de vendedora na Palato Especiarias em meados de novembro. Da vaga finita para qual foi selecionada até a efetivação, foram preciso apenas duas semanas. “Fui contratada como horista. 15 dias depois, a demanda foi aumentando e me chamaram para trabalhar 44 horas semanais. Acho que juntou a demanda alta com minha capacidade de atender e vender bem. Fui vendedora por mais ou menos um ano, depois fui vendedora responsável por comunicação com funcionários e fechamento da loja. Agora, sou supervisora”, comemora.

Para ela, a trajetória na loja serve de inspiração para outras pessoas que pretendem se candidatar às vagas temporárias da alta estação. “Conta muito no currículo ver que a pessoa foi contratada como horista numa vaga que era para ser temporária […] A dica que sempre gosto de dar para quem ainda está tentando emprego é estar aberto a tudo, ir de coração aberto para atender, conhecer o sistema e não se limitar”, aconselha.

Neste fim de ano, quem vai tentar se reinserir no mercado de trabalho através das vagas finitas é a profissional de Recursos Humanos, Monique Cerqueira, de 26 anos, que vê na ocasião a chance de acúmulo de experiência para a construção de uma carreira. “Mesmo que seja um ou dois meses, é uma oportunidade que vai ajudar financeiramente, sem contar que, se o colaborador se empenhar e tiver comprometimento, a empresa pode contratar”, frisa. Correio da Bahia