Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

A Bahia é o estado com mais homicídios dolosos registrados no primeiro quadrimestre de 2024 em território nacional. Dados do Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJ) indicam que, entre janeiro e abril, 1.490 pessoas foram vítimas do crime. Entre os três estados com mais ocorrências, todos são do Nordeste, já que Ceará com 1.106 e Pernambuco com 949 registros ocupam a segunda e a terceira colocação do ranking, respectivamente.

O Ministério não tem os dados de abril referente aos estados de Pernambuco, que no mês referido já tinha 949 registros e ocupava a segunda colocação, e do Rio de Janeiro, que tinha 836 homicídios nos primeiros três meses e estava na terceira colocação. Questionado sobre a metodologia para a disponibilização dos dados, o MJ informou que os números são fornecidos pelas gestões de cada estado, que são responsáveis por contabilizá-los.

“Os dados publicados na página do Ministério da Justiça e Segurança Pública são enviados, consolidados e homologados pelos estados e pelo Distrito Federal. Os entes federados que não constam no mapa são os que ainda não enviaram as informações”, escreve em nota.

Em janeiro, a Bahia tinha 371 registros e, no mês seguinte, já acumulava 725. Em março, o número chegou a 1.131. As ocorrências disponibilizadas pelo MJ deixam o estado com uma média de 13 homicídios dolosos por dia. Só em Salvador, especificamente, a média até aqui é de duas mortes diárias, visto que foram registrados 309 casos no total. O número faz com que a capital concentre 19,20% dos homicídios que ocorreram no estado.

Em Salvador, um dos motivos dessas mortes é o confronto armado entre grupos criminosos, como o que provocou uma semana de tiroteios no bairro de Mirantes de Periperi, no Subúrbio Ferroviário. Antônio Jorge Melo, especialista em segurança pública e coronel reformado da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), vê uma conexão clara entre o número de homicídios e o enfrentamento entre as facções criminosas.

“Uma coisa está ligada a outra. Quando você está lidando com facções criminosas, inevitavelmente há confrontos [entre elas] e uma boa parte desses homicídios está ligada a essas ações dessas facções criminosas. A partir do momento que as forças de segurança entram em confronto e causam baixa no crime organizado, há uma tendência a diminuir também esses homicídios”, analisa.

Apesar de ser líder no cenário nacional, a Bahia registrou uma redução de 8,05% nos homicídios do primeiro trimestre de 2023 para 2024. Heloísa Brito, delegada geral da Polícia Civil da Bahia (PC-BA), diz que a diminuição do crime é fruto de várias operações policiais no sentido de prisão e desmantelamento dessas organizações criminosas e na elucidação dos crimes. Em 2024, até aqui, 35 líderes de organizações criminosas foram localizados pela polícia na Bahia. Correio da Bahia