SDR/CAR

O vice-governador Geraldo Júnior (MDB) afirmou nesta segunda-feira (27), durante reunião do G20 em Salvador, que a Bahia investiu uma cifra de R$ 4,7 bilhões para promover o acesso à água e ao saneamento em todo o estado.

Segundo ele, as políticas de universalização resultaram em mais de 1,9 milhão de ligações de água e mais de 1,1 milhão de ligações de rede esgoto, entre 2007 e 2023, sob gestões petistas.

“Faço questão de entregar iniciativas que visam a universalização do acesso à água e ao esgoto dentro do nosso programa até 2033. Uma cooperação trilateral, já sinalizada anteriormente, que visa combater as mudanças climáticas”, disse Geraldo Júnior durante a abertura do evento.

Um dos temas centrais do encontro diz respeito aos desafios para a redução das desigualdades e do combate à fome e à pobreza.

Ao abordar a questão, o vice-governador citou o programa Bahia Sem Fome, implementado desde o fim do ano passado pela gestão Jerônimo Rodrigues (PT).

“Quando assumimos o governo, no ano passado, existiam quase 2 milhões de baianas e baianos no mapa da fome. Graças a ações de governo, tiramos quase 1 milhão de baianos do mapa da fome”, afirmou.

Segundo o emedebista, as pautas para redução das desigualdades sociais estão alinhadas ao que propõe o governo do presidente Lula.

Sobre a agenda climática e ações de sustentabilidade, o vice-governador disse que a Bahia pode ser considerada um exemplo em recursos naturais para a transição energética. Nossa matriz é composta de 93% de energia renovável. Desses 93%, 44% de energia eólica, energia limpa.”