ssp

No balanço bimestral divulgado ontem, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou a redução de 96,4 % em roubos a bancos no período de 2014-2023; e a marca de 50 prisões por dia efetuadas nesses primeiros meses de 2024, entre as quais constam 18 líderes de facções criminosas que atuavam na capital e interior.

Ações ostensivas e de inteligência, ampliadas pelas Forças da Segurança, levaram à redução de 14,3% das mortes violentas na Bahia, nos dois primeiros meses de 2024, comparado ao mesmo período do ano anterior; 124 casos a menos foram computados em todo o estado, aponta o relatório.

Entre janeiro e fevereiro houve diminuições de 13,2% dos homicídios, de 53,8% das lesões dolosas seguidas de morte e de 29,4% dos latrocínios (roubo seguido de morte). O índice de feminicídio também registrou redução de 23,1%.

Os dados foram apresentados em coletiva de imprensa que reuniu autoridades da SSP-BA no Centro de Operações e Inteligência (COI), no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Roubos a bancos

Na série histórica de roubos a bancos no Estado, em 2014 foram registrados 279 crimes contra instituições financeiras, números que caíram para 10, em 2023. Os dados tiveram redução gradativa, alcançando a menor marca no ano passado. O balanço indica ainda que em 2023 ocorreram três episódios de roubos a bancos.

A redução para igual período em 2024 é de 100%, considerando que este ano não houve registros desse tipo de crime na Bahia. De acordo com dados divulgados pela SSP-BA, prisões e apreensões relacionadas a ações criminosas contra bancos foram realizadas em Salvador, Lauro de Freitas, Itabuna e Andorinha.

50 prisões por dia

Ainda de acordo com dados do balanço divulgado ontem, as forças de segurança do Estado realizaram 3.040 prisões dos primeiros meses de 2024, que representa uma média de 50 prisões por dia. O número corresponde a um aumento de 6,4% em relação ao ano anterior.

Outro dado apresentado pela pasta é que 149 foragidos da justiça foram localizados através do Sistema de Reconhecimento Facial. Ao todo, mais de 1.400 já foram encontrados desde a implementação da ferramenta.

Aos dados da SSP-BA informam ainda que foram apreendidas 908 armas pelas equipes policiais. Um aumento de 14,6%, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Neste montante, a pasta informou que incluem a apreensão de 14 fuzis.

Líderes de Facções

Neste período, foram presos 18 líderes de facção. Entre os criminosos, um deles, liderança em Feira de Santana, foi capturado em ação da Ficco Bahia, na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte.

O subsecretário Marcel de Oliveira citou a importância de localizar e prender líderes de organizações criminosas no estado. Segundo o subsecretário, quase metade desses criminosos atuavam no interior da Bahia. Ele indica que a prisão desses indivíduos demonstra a “atenção” que outras cidades, além da capital, recebem das Forças de Segurança.

“Já foram 18 [líderes de facções], três inclusive figuravam no já conhecido baralho do crime, 10 aqui na capital e Região Metropolitana, e oito no interior. Para gente enxergar que não é só Salvador que recebe atenção das Forças de Segurança, pelo contrário, estamos em 417 municípios”, afirmou. A Tarde