Foto: @bahiaemfoto

O bebê morto a tiros na tarde de domingo (20), na praia de Tubarão, que fica no bairro de Paripe, no subúrbio de Salvador, completou um mês de vida, um dia antes do ataque a tiros que terminou com quatro pessoas mortas e duas feridas. O pai dele foi uma das vítimas.

Informações preliminares apontam que o crime, que aconteceu por volta das 14h30, foi motivado pelo tráfico de drogas e um dos mortos era o alvo dos criminosos.

Segundo informações da Polícia Civil, os autores do ataque chegaram no local em um carro e dispararam várias vezes no homem e nas outras pessoas.

As vítimas foram identificadas como Joilson de Souza Silva, de 36 anos, Jonas Santos de Oliveira, de 28 anos, Bruno Roberto Galvão Ribeiro, de 25 anos, e Bryan Cerqueira Galvão, de 1 mês.

Um casal segue internado no Hospital do Subúrbio, para onde foi levado. Não há detalhes do estado de saúde das vítimas.

“Vários tiros, muitos tiros mesmo! Pensei até que era bomba. Quando a gente foi ver, tinha três baleados aí no chão”, relatou um morador que preferiu não revelar a identidade.

“O pai estava com o bebê no colo. Todo mundo com medo, aqui permanece a lei do silêncio: ninguém viu nada, sabe de nada. Não pode está falando muito”, contou o mesmo homem.

De acordo com informações do Comando de Operações Policiais Militares (COPPM), policias da 19ª CIPM foram acionados para averiguar a informação de um grupo atingido por disparos de arma de fogo. No local, os PMs constataram o fato.

A área foi isolada para perícia que será realizada por agentes do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

O caso é investigado pela Polícia Civil. A polícia informou que Jonas Santos de Oliveira tinha passagem pela polícia e possivelmente era o alvo dos criminosos. G1