Foto: Arquivo pessoal/Melissa Maurer

A bióloga e ativista Laryssa Galantini foi personagem em um livro sobre empoderamento feminino junto de outras 27 mulheres que moravam na região da Chapada dos Veadeiros, no nordeste de Goiás. A educadora ambiental de 35 anos morreu em um acidente entre duas lanchas na ilha de Boipeba, na Bahia. “Ela sempre esteve envolvida em movimentos sociais, ambientais e no mandato coletivo, no primeiro mandato coletivo do Brasil”, destacou a fotógrafa Melissa Maurer, co-autora do livro.

O livro “Beleza Interior” conta com uma série de perfis de mulheres com ações voltadas para a comunidade, atuantes em eixos como economia solidária, respeito à diversidade e desenvolvimento sustentável. A produção é da fotógrafa Melissa Maurer e da escritora Priscila Marília Martins.

“Em um mundo em que a beleza física é sempre exaltada, ditada, cobrada e comercializada, visando padrões inatingíveis, cruéis e irreais, o projeto Beleza Interior dá voz à beleza imensurável das mulheres que dedicam suas vidas em benefício do bem coletivo, destacando a beleza e força de ser e fazer, nos rincões do país”, ressalta a descrição do livro.

O livro tem ainda uma entrevista com Laryssa em que ela destaca a importância da união entre as mulheres. “A ocupação das mulheres na política é uma questão de base. Da forma como nós mulheres nos relacionamos e conseguimos conversar umas com as outras. Que as mulheres possam se fortalecer sempre, e não ser rivais”, disse a bióloga ao livro Beleza Interior. “Viver em comunidade é parte de mim. Gosto de viver em comunidade. Traz um senso de família”, completou Laryssa. G1