Agência Brasil

Jair Bolsonaro decidiu mesmo sair do PSL. Segundo informações da Revista Crusoé, ele convocou deputados do partido para uma reunião às 16h desta terça-feira (12), no Palácio do Planalto, com o objetivo de informar a sua saída. Foram convidados para o encontro tanto congressistas leais a Bolsonaro quantos os que são próximos ao presidente do partido, Luciano Bivar.

O  presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, afirmou que o conservadorismo radical, representado pelo clã Bolsonaro, não tem mais espaço junto do liberalismo de parte da legenda.

“Você tem hoje um conservadorismo radical e você tem um liberalismo. Essas duas correntes provavelmente não podem viver sob o mesmo teto”, afirmou ele, durante participação no programa Em Foco, com a jornalista Andréia Sadi.

O racha entre Bolsonaro e o PSL aumentou no começo do mês passado, quando ele disse a um apoiador para “esquecer” o partido. Também disse que Bivar está “queimado”.

O presidente do PSL é acusado de participação em um esquema de candidaturas laranjas. Bivar teria apoiado o repasse de R$ 400 mil em verbas do fundo partidário para uma candidata “laranja” em Pernambuco. Maria de Lourdes Paixão, 68 anos, teria sido a terceira maior beneficiada com verba do PSL em todo o País.