Foto: Arquivo/Mapa

Segue até o próximo dia 31 de dezembro a campanha de vacinação contra a febre aftosa. O período para imunizar o rebanho bovino e bubalino se encerraria no fim de novembro, mas, devido à estiagem que afeta todo o estado, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), prorrogou o prazo. Já a declaração da vacinação pode ser feita até o dia 15 de janeiro de 2024.

A Bahia conta com um rebanho bovino de cerca de 13 milhões de cabeças. A Adab enfatiza a importância da vacinação para prevenir a Febre Aftosa, uma das mais graves enfermidades que afetam bovinos e bubalinos. Tão importante quanto vacinar, é declarar a aplicação do imunizante, frisa o diretor-geral da Agência, Paulo Sérgio Luz.

Imunizar os animais é crucial não apenas para a saúde do rebanho, mas também para a economia, pois a presença da doença pode afetar as exportações de carne. A Bahia está avançando para se tornar o primeiro estado do Nordeste a alcançar o status de Zona Livre da Aftosa sem Vacinação em 2024, o que permitirá a abertura de novos mercados à carne baiana.

DECLARAÇÃO

A declaração da vacinação e da geolocalização das propriedades são de suma importância. Os dois quesitos são exigidos pelo Ministério da Agricultura e organismos internacionais para aferir o nível de segurança da defesa agropecuária do estado e a sanidade dos animais.

Os produtores que não realizarem a declaração da vacinação terão suas propriedades interditadas, ficando impedidos de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA). Entre as sanções, também estão estabelecidas, por lei, notificação e multa. Em todo o Estado, a Adab disponibiliza mais de 390 escritórios para atender aos criadores em suas mais de 400 mil propriedades rurais cadastradas.