Foto: Heloise Hamada/G1

A economia brasileira gerou 249.388 empregos com carteira assinada em agosto, segundo o Ministério da Economia. De acordo com o governo federal, o resultado foi “puxado pelo aumento das contratações que seguem em tendência de crescimento desde maio”.

No mês passado, foram contratados 1.239.478 trabalhadores formais, e demitidos 990.090. Esse foi o segundo mês consecutivo de geração de empregos formais e, também, o melhor resultado para meses de agosto desde 2010 ou seja, em dez anos.

No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, porém, as demissões superaram as contratações, e o país registra o fechamento de 849.387 vagas de emprego formais. As demissões refletem o impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado de trabalho brasileiro, que empurrou a economia mundial para uma forte recessão.

Distribuição regional

De acordo com o Ministério da Economia, foi registrada criação de vagas formais nas cinco regiões do país no mês passado.

  • Sudeste: +104.702 vagas
  • Nordeste: +62.085 postos
  • Sul: +42.664 vagas
  • Norte: +22.272 postos
  • Centro-Oeste: +17.684 vagas

Ao mesmo tempo, ainda segundo dados oficiais, todos os estados, e o Distrito Federal, registraram saldo positivo em agosto. São Paulo liderou a abertura de vagas, com 64.552 postos, seguido por Minas Gerais (+28.339 vagas) e Santa Catarina (+18.375 postos formais). G1