(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Apontada pela polícia como mentora do “crime do brigadeirão”, a cigana Suyany Breschak cobrava até R$ 18 mil por “amarrações amorosas”. A jovem de 27 anos faz sucesso nas redes sociais, com 700 mil seguidores, onde se identifica como “Esmeralda”, uma “cigana legítima de berço” e “especialista em união amorosa”.

Ela foi presa no dia 29 de maio em Cabo Frio, no Rio de Janeiro. Segundo o G1, Suyany disse à polícia durante depoimento que trabalha com “com umbanda, linha branca, sem provocar mal a ninguém”. O conteúdo publicado por “Esmeralda” varia entre cursos de simpatias, previsões e rituais.

No WhatsApp, uma mensagem automática explica o trabalho da cigana. “Amarração amorosa: traz a pessoa te amando e respeitando tendo olhos e prazer somente contigo na cama rastejando implorando pelo seu perdão se tiver com outra pessoa. Larga da pessoa toma ódio e nojo dessa outra pessoa”, diz o texto, repleto de erros ortográficos.

“Ele estiver com outra pessoa? Ele larga dela toma ódio nojo dela. Ele vai ter olhos só pra mim? Sim, olhos e desejos só por você. Ele para de sair beber com amigos? Sim ele para, faz todas suas vontades e desejos para te agradar.” “Todos os trabalhos são garantidos ou seu dinheiro de volta”, destaca a “Cigana Esmeralda”.

Valores

Após explicar os serviços, a cigana apresenta os valores que cobra pelas “amarrações”. Um enlace de 3 anos custa R$ 2.200. Uma união de 5 anos sai por R$ 4.800. Sete anos de amarração ficam por R$ 5.200, e para a “amarração amorosa definitiva” Suyany cobra R$ 18 mil. “Resultados dentro de 21 dias”, prevê. O interessado precisa enviar nome completo, a data de nascimento e uma foto da pessoa “a ser amarrada”. A Tarde