Mais de um terço dos candidatos a vereadores lançados pelo PSL em Belo Horizonte divulgou ontem (20), uma nota sobre o partido estar se envolvendo, mais uma vez, “em escândalo de repasse de verbas públicas”. As informações são da Folha de S.Paulo. O motivo da revolta de 24 candidatos é o repasse, pela sigla, de R$ 690 mil do Fundo Eleitoral para a candidata a vereadora Janaina Cardoso (PSL), ex-mulher do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, cacique do partido em Minas Gerais. “O repúdio, além de ser ao ministro, ex-marido da candidata do próprio partido, também diz respeito à senhora Janaina Cardoso, em uma atitude, mais uma vez, que deteriora o PSL, e que joga na lama o nome de um partido, envolvido, mais uma vez, em escândalo de repasse de verbas públicas, o que deprecia não apenas as candidaturas, mas as histórias de outros candidatos, idôneos, patriotas e conservadores no mesmo cenário”, diz a nota, que é assinada inclusive pela presidente do PSL Mulher em Minas, Marcela Valente.