(Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

O Vitória sofreu sua segunda derrota no Barradão pela Série B. Nesta terça-feira (6), o Leão foi superado por 2×1 pelo América-MG e, além de não conseguir colar no G4, caiu para a 10ª colocação, estacionado nos 18 pontos.

Autor do único gol rubro-negro na partida, Thiago Carleto saiu em defesa do técnico Bruno Pivetti, alvo de críticas pelas últimas atuações da equipe. Segundo o jogador, a culpa de mais um resultado ruim é de todos.

“Acho que temos que levantar a cabeça [com o resultado]. Nós, todos, sabemos que a responsabilidade é toda nossa. Não adianta apontar o dedo para o Bruno, para a comissão técnica, porque sabemos que nós, jogadores, dentro do campo, que não estamos conseguindo as vitórias”, disse o jogador, em entrevista ao canal Premiere após a partida.

“Não adianta colocar culpados. Nós todos somos culpados. Eu, como um dos líderes do grupo, assumo essa responsabilidade. A gente tem que trabalhar muito para dar uma resposta ao torcedor, porque sabemos que não pode acontecer isso dentro da nossa casa”, continuou.

Os dois gols do Coelho, marcados por Ademir e Felipe Azevedo, foram assinalados no primeiro tempo. Na avaliação de Carleto, o Vitória está atuando bem, mas falta acertar a pontaria na hora de finalizar.

“Acho que estamos conseguindo ter um padrão bom de jogo, estamos chegando, só que não estamos fazendo. Acho que foram dois erros no começo do jogo fatais: uma cobrança curta, que eles fizeram o gol, e uma desatenção em uma bola que a gente sempre trabalha – e que perdemos e tomamos o gol no contra-ataque. Agora é levantar a cabeça. Temos uma sequência de jogos muito grande”, falou Carleto.

O gol do lateral veio no segundo tempo, de pênalti. Na hora da cobrança, aliás, Jordy Caicedo chegou a pegar a bola, o que gerou um desentendimento com o camisa 50, que é o batedor oficial. O capitão rubro-negro, Wallace, então, tomou a redonda e deu para Carleto. Após o jogo, ele minimizou a polêmica.

“Sobre Jordy, a gente resolve internamente. Nós somos um grupo e eu, como um dos líderes, jamais vou expor meus companheiros. É coisa que não pode acontecer. Mas a gente resolve internamente. Não vai ser isso que vai tumultuar nosso ambiente, que é muito bom”, garantiu Carleto. Correio da Bahia