O número de incêndios em regiões de vegetação praticamente dobrou nos dois primeiros meses do ano na Bahia, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Corpo de Bombeiros, entre janeiro e fevereiro deste ano, foram registrados 1.058 casos em todo estado, sendo 588 no interior e 470 na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Já no mesmo período de 2018 foram 578 casos. Para o diretor de Políticas de Biodiversidade e Florestas da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Murilo Figueiredo, o aumento dos casos é favorecido pela maior quantidade de biomassa e combustíveis e uso descontrolado do fogo para a realização de queimadas pela população.

“Todas essas questões favorecem a incidência dos incêndios e são agravadas pela questão climática e escassez de chuva”, afirma. As cidades do interior do estado foram as mais acometidas pelos incêndios em vegetação no mês de fevereiro com 438 ocorrências.

Enquanto na Região Metropolitana foram 124 registros. Segundo o diretor da Sema, as cidades mais atingidas estão localizadas no sul, extremo sul, baixo sul e na região da Chapada Diamantina.

Um dos últimos incêndios de grande proporção foi o que atingiu o Parque Nacional do Monte Pascoal, em Porto Seguro, na Costa do Descobrimento. O fogo, que começou no último dia 1º, tinha sido controlado, porém novos focos voltaram a aparecer na terça-feira (19).

As chamas já destruíram uma área equivalente a 1.501 campos de futebol, o que corresponde a 5% do parque. No sul, três focos de incêndio foram registrados em Canavieiras, Eunápolis e Uruçuca na segunda-feira (18) segundo informações do Bahia Notícias.