Foto_Betto_Jr_Secom_PMS

Após mais um dia de fortes chuvas em Salvador, 126 pessoas estão acolhidas em escolas municipais. O número foi atualizado pela prefeitura municipal na noite desta última terça-feira (9).

Segundo a Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), os cidadãos foram recebidos em Unidades de Acolhimento Provisório para Adultos e Famílias Desalojadas e/ou Desabrigadas, como são chamadas as unidades de ensino usadas na operação.

Há pessoas assistidas em oito desses espaços montados nas seguintes comunidades:

  • 43 pessoas na Baixa do Cacau
  • 32 na Voluntários da Pátria
  • 16 na Moscou
  • 14 na Irmã Dulce
  • 13 na Mangabeira
  • 4 no Bom Juá
  • 3 na Bosque Real
  • 1 na Mangueira/ Olaria

A gestão destaca que as equipes da Sempre seguem de prontidão em outras cinco localidades em áreas de risco, para assegurar alojamento imediato à população que venha a necessitar.

De acordo com a pasta, no ato do acolhimento é disponibilizada alimentação, kits de limpeza, higiene pessoal e dormitório. Os técnicos realizam também escuta, orientação sociofamiliar e encaminhamentos para a rede de serviços socioassistenciais.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, anunciou, na terça, que vai conceder aluguel social para mais de 2 mil pessoas que tiveram de sair de suas respectivas casas por causa de algum transtorno causado pelos temporais.

“Mais de 2 mil pessoas estão cadastradas para receber o aluguel social por conta das chuvas até que a Prefeitura destine uma moradia definitiva ou construa uma contenção de encosta para que elas possam retornar a suas casas com segurança, por exemplo. Também temos um auxílio emergencial, que indeniza em até três salários mínimos quem foi afetado”, afirmou.

De acordo com o prefeito, cerca de R$ 200 milhões estão sendo investidos em medidas preventivas como obras de proteção de encostas, desobstrução de redes de drenagem, podas de árvores, entre outras iniciativas.

“Salvador, no último censo do IBGE, apontava 1.040 áreas de risco. A prefeitura, sozinha, já protegeu nos últimos anos 507 áreas, quase a metade. E é justamente por isso que hoje nós temos uma cidade mais resiliente, mais resistente. A nossa prioridade é salvar vidas. Choveu demais esses dias, mas graças a Deus e ao nosso trabalho ninguém morreu”, disse o prefeito.

Prejuízos na cidade

A capital baiana é atingida por temporais há quatro dias consecutivos. Nesta terça, o boletim da Defesa Civil de Salvador registra, até as 21h:

  • 141 deslizamentos de terra
  • 110 ameaças de deslizamentos
  • 121 avaliações de imóveis alagados
  • 17 desabamentos de muros G1