Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Há cerca de um ano o Grupo City assumiu a gestão do futebol do Bahia. O tempo pode ser pouco para colher resultados em campo, mas já é o suficiente para o clube mostrar força no mercado de transferências. Esse foi o recado passado pelo Tricolor com as contratações de Everton Ribeiro e Jean Lucas. E deve vir mais por aí.

O Bahia assinou com Everton Ribeiro em fim de contrato, mas abriu os cofres para vencer a concorrência de outros clubes interessados no meio-campista. Inclusive o próprio Flamengo, que ofereceu ao camisa sete uma renovação de vínculo.

A oferta do Bahia, com dois anos de contrato, ganho salarial e possibilidade de renovação automática por mais um, foi a mais atrativa para o jogador, que aceitou o desafio de desembarcar em Salvador para o “ano um” do projeto sob a gestão do Grupo City. Tudo isso além do projeto voltado para a aposentadoria do meia.

O outro reforço já confirmado para 2024 é Jean Lucas, ex-Santos. O Bahia pagou R$ 24, 2 milhões para tirar do Peixe o meio-campista de 25 anos. O Internacional também tinha interesse no jogador, mas levou a pior na disputa com o Esquadrão. A compra de Jean Lucas é a mais cara da história do futebol do Nordeste. A lista, por sinal, é dominada por contratações feitas pelo Tricolor após a venda da SAF ao Grupo City.

🤑💰 Maiores compras do futebol nordestino:

  1. Jean Lucas (Bahia): R$ 24, 2 milhões
  2. Moisés (Fortaleza): R$ 18,4 milhões
  3. Jhoanner Chávez (Bahia): R$ 18 milhões
  4. Cauly (Bahia): R$ 13,8 milhões
  5. Gilberto (Bahia): R$ 13,5 milhões

Moisés, recém-contratado pelo Fortaleza, é o único “intruso” na lista dominada pelo Bahia. Os outros tricolores na lista são Jhoanner Chávez, Cauly e Gilberto, todos jogadores que chegaram ao clube em 2023, no “ano zero” do projeto do Grupo City.