Agência Brasil

O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, calculado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), marcou -68 pontos em setembro. O nível de confiança, portanto, foi menor do que o observado no mês antecedente (-41 pontos) e maior do que no mesmo mês do ano passado (-220 pontos).

Numa escala de -1.000 a 1.000 pontos, o resultado representou uma piora de 27 pontos quanto ao averiguado em agosto. Assim, a trilha de recuperação da confiança empresarial observada ao longo dos cinco meses anteriores foi interrompida. Em relação ao registrado um ano antes, a pontuação mais recente significou uma melhora de 152 pontos.

O indicador abaixo de zero revelado no mês, dessa maneira, significou a permanência do pessimismo no meio empresarial baiano pela 19ª vez consecutiva. A confiança do empresariado local, assim, permaneceu na zona de Pessimismo Moderado pela quinta vez seguida.

O recuo do nível de confiança de agosto a setembro não aconteceu de forma generalizada, visto que não foi realidade para uma das quatro atividades. Enquanto Agropecuária, Indústria e Comércio exibiram contração em seus indicadores, a atividade de Serviços experimentou expansão. No comparativo com o mesmo mês do ano antecedente, por outro lado, todos os setores apresentaram alta.

Do conjunto avaliado, os itens juros, crédito e inflação apresentaram os indicadores de confiança em pior situação no mês. Em contrapartida, as variáveis PIB nacional, vendas e emprego foram aquelas com as melhores expectativas do empresariado baiano.