Bahia vai aplicar doses de reforço da vacina contra Covid-19 e reduzir o intervalo entre as doses da Pfizer e AstraZeneca a partir a segunda quinzena de setembro. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde do estado (Sesab) nesta última quarta-feira (25).

Segundo informações da Sesab, o órgão vai seguir a deliberação do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. A ação será destinada para os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses e pacientes imunossuprimidos, que vão esperar 28 dias após a segunda dose.

De acordo com a Sesab, a imunização deverá ser feita, preferencialmente, com uma dose da Pfizer, ou de maneira alternativa, com a vacina de vetor viral da Janssen ou da AstraZeneca. Também a partir do próximo mês, o intervalo entre as doses da Pfizer e AstraZeneca passará de 12 para 8 semanas para toda a população.

A Sesab informou que as mudanças não interferem na logística de distribuição do estado para os municípios. A dose de reforço está estimada para um público superior a 950 mil baianos. Os dados do último boletim divulgado pela Sesab, na terça-feira (24), apontam que o estado tem 8.315.769 pessoas vacinadas com a primeira dose ou dose única. Com isso, a Bahia vacinou 75% da população com 18 anos ou mais.

Impasse com o governo federal

Na última sexta-feira (20), o governo da Bahia, por meio da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE-BA), recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o Ministério da Saúde (MS) regularize a entrega de vacinas contra a Covid-19.

No documento, a PGE-BA questiona o MS por “não cumprimento adequado e célere dos novos critérios fixados, que previam a compensação das vacinas recebidas a menos, durante o processo de vacinação previsto no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19”.

Ainda no documento, a PGE-BA solicita que o estado seja compensado com 1.005.637 doses, para vacinar a população entre 18 e 59 anos, com dados projetados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em até 10 dias. G1