Foto: Michael Dantas/AFP

Ainda sem data para vacinação infantil, os índices de casos pela Covid-19 envolvendo crianças e a taxa de ocupação de leitos para este público, vêm acendendo um sinal preocupante para as autoridades e profissionais de saúde.

Até a noite de ontem (7), de acordo com os indicadores da Secretaria Municipal da Saúde, Salvador conta com apenas três leitos pediátricos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis, o que representa uma taxa de ocupação a 85%. Já em relação aos leitos de enfermaria, dos 30 implantados, 27 se encontram ocupados; a taxa de ocupação é 90%.

Conforme os dados da Central Integrada de Comando e Controle da Saúde, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), atualmente na Bahia, 42 leitos de enfermaria pediátrica se encontram ocupados. A taxa de ocupação chega a 70%; em relação aos leitos de UTIs, o percentual é de 86%.

“Temos visto um aumento significativo nos casos de síndrome respiratória aguda em crianças, e desde o início da pandemia nunca tínhamos visualizado algo do tipo, como está acontecendo agora, que é essa superlotação. Atualmente a comunidade pediátrica não se sabe o porquê dessas altas demandas. Porém, alguns motivos são nítidos, como casos de crianças que testaram para a Influenza H3N2, além de outras diagnosticadas, a exemplo da pneumonia”, destaca Sara Vasconcelos, médica intensivista pediátrica.

Sara destaca que a atualização da caderneta de vacinação contra Covid-19 de pais e/ou responsáveis que convivem diariamente com crianças, se torna um das principais orientações de evitar a disseminação da doença para o público infantil.

“É importante chamar atenção dos pais para se vacinar contra a Covid, já que as crianças ainda não podem ser vacinadas, então esse fator se torna um meio de proteção para os pediátricos. Vaciná-los contra a Influenza, já que estão sendo público-alvo ao longo da campanha; além de atualizar o ciclo vacinal básico contra outras doenças e o fundamental: evitar aglomeração, usar  máscara e álcool em gel, e distanciamento social”, conclui a médica.

Na última quinta-feira (6), o prefeito Bruno Reis informou que está tentando contratar novos leitos de UTI para crianças.

“O secretário Leo Prates tem reunião com o Martagão para articular essa operação. Já determinei a ampliação dos leitos pediátricos no Martagão. Tínhamos 20 vamos pra 30. Três já entram em funcionamento semana que vem. Os outros sete, nós estamos trabalhando para termos pelo menos mais cinco leitos no Martagão”, disse o prefeito. Tribuna da Bahia