reprodução

O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, informou que o contrato para construção da ponte Salvador–Itaparica pode acabar rescindido, assim como aconteceu recentemente com o VLT do Subúrbio Ferroviário de Salvador. Os detalhes sobre as dificuldades para tirar o projeto do papel foram divulgados durante coletiva realizada nesta semana na capital baiana. O motivo da suspensão seria o aumento do custo para a obra, que saltou de R$ 7 bilhões para quase R$ 13 bilhões.

“Quando Rui assinou esse contrato, ele girava em torno de seis a R$ 7 bilhões. Com a pandemia, com os insumos, o mercado cambial sendo elevado, hoje a obra chega perto de R$ 13 bilhões. Portanto, é preciso fazer uma equalização e nós entendemos isso”, afirmou o governador.

Na ocasião, Jerônimo também disse que está disposto a negociar com o consórcio chinês responsável pelo projeto para manter a parceria. “Tem uma equipe da CCCC e da CR20, que compõem o consórcio aqui na Bahia, já dispostas a sanar essas pendências. Assim que tivermos essas respostas vamos poder dizer: ‘Vai iniciar a obra’. A gente vai botar data e hora marcada. Ou se tiver algum empecilho que a gente perceba que vai demorar muito, pode ter certeza que eu tomarei a decisão de distratar e fazer um novo processo de licitação”, afirmou o governador.

“Eu não estou anunciando distrato. Nós recolocamos à mesa para que esse contrato seja restabelecido. Tenho certeza que com o governo federal nós conseguiremos…temos a tranquilidade de dizer, vamos iniciar essa obra, caso não dê certo, vamos rever o contrato”, completou. ACM Neto se pronuncia sobre a ponte Salvador-Itaparica.

Ex-prefeito de Salvador e presidente da Fundação Índigo, ACM Neto responsabilizouo PT pelo fracasso na construção da ponte Salvador-Itaparica. Anunciada em 2009 e com previsão para ser concluída em 2013, a ponte já consumiu cerca de R$ 300 milhões apenas em projetos e não há sequer uma coluna instalada na Baía de Todos-os-Santos.

“Hoje nós vimos mais uma pérola do governador Jerônimo Rodrigues, ao dar a entender que vai cancelar o contrato. O que chama a atenção é que esse projeto foi proposto pelo ex-governador Jaques Wagner em 2009. O tempo foi passando, dois governos de Wagner, dois governos de Rui Costa, que chegou a marcar data para começar a obra e, no ano passado, durante a campanha, para conquistar votos, Jerônimo Rodrigues também prometeu iniciar o projeto, mas nada saiu do papel depois de 14 anos”, afirmou ACM Neto, que também é secretário-geral do União Brasil.

Neto lembrou que, por diversas vezes, o governo estadual gastou milhões em propaganda no rádio, televisão, jornais, internet e outdoor para anunciar a construção da ponte. “A história parece se repetir, porque há alguns dias o governo anunciou o fim do contrato do VLT, “o mesmo governo que paralisou a operação dos trens do Subúrbio, deixando a população sem esse meio de transporte”.

De acordo com ACM Neto, o governador Jerônimo Rodrigues precisa respeitar mais a população da Bahia. “Eles estão há 17 anos comandando o estado, e apresentam as mesmas promessas e desculpas. O que a gente quer, governador, é que você comece a trabalhar para trazer soluções, e não fique procurando desculpas, como estamos vendo agora com a ponte Salvador-Itaparica, uma novela que, infelizmente, parece que não vai ter final feliz”. Alô Alô Bahia