O presidente da Central Única dos Trabalhadores na Bahia (CUT-BA), Cedro Silva, condenou, nesta segunda-feira (26), as propostas do governo de Rui Costa (PT) de vender estatais na Bahia. A intenção das medidas é reduzir o tamanho e custo do Estado e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência. A medida tem sido estudada para superar o déficit previdenciário estadual, que é da ordem de R$ 4,04 bilhões de reais.

 

“Não concordamos com venda de empresas públicas. Toda vez que estamos em um momento difícil tem que vender algo para uma solução. Não é essa a solução. Não é vendendo as coisas públicas”, afirmou ao Bahia Notícias. De acordo com Cedro Silva, o governo afirmou que só haverá “mudanças” nas empresas estatais, que não vão refletir em demissões.

 

O sindicalista pediu que o governador reeleito Rui Costa “dialogue” com a sociedade sobre os projetos. “Tenho dito que qualquer ação para economizar recursos tem que ser dialogada com a população, mas a gente precisa da união de todos os trabalhadores do estado para pensar na Bahia. Não pode ter atraso de salário para não comprometer a vida de ninguém”, afirmou Cedro Silva em entrevista segundo informações do Bahia Notícias.

 

Segundo a Veja Online, Rui cogita a venda da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e a Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), Instituto do Cacau e a concessão da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). Nos bastidores, o comentário é de que as propostas têm provocado insatisfação na própria base de Rui Costa, já que muitos deputados podem perder indicações nas estatais.