Foto: Alan Oliveira/G1

Dados sensíveis de centenas de magistrados, na ativa, aposentados e pensionistas, foram vazados no site do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). A relação foi removida na quarta-feira (29) após reclamações da Associação de Magistrados da Bahia (Amab). Nas planilhas foram apresentadas informações como número de RG e CPF e endereços residências. Para os magistrados, os dados sigilosos divulgados representam risco para juízes e desembargadores e suas famílias, além de deixá-los à mercê de ações fraudulentas. Em nota, a Amab afirmou que o vazamento viola a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e que os responsáveis pela divulgação indevida dos dados podem ser responsabilizados.