Crédito: Felipe Oliveira EC Bahia

O destino do Bahia em 2024 será definido na última rodada do Brasileirão. O torcedor tricolor vai precisar preparar ainda mais o coração, já tão castigado ao longo do campeonato e, em especial, na noite deste domingo (3). Não faltaram emoções e decepções diante do já rebaixado América-MG, no estádio Independência, em Belo Horizonte. Lanterna do campeonato, o time mineiro encerrou um jejum de 14 jogos sem vencer ao bater o Bahia, de virada, por 3×2.

Dominado em quase toda a etapa inicial, o Bahia abriu o placar, com Everaldo, de pênalti, mas cedeu a virada ainda no primeiro tempo. Ricardo Silva e Renato Marques foram os responsáveis pela alegria da torcida do Coelho. E o próprio Renato Marques ampliou no minuto inicial do segundo tempo.

Aposta vinda do banco, Ademir acertou a pontaria para diminuir, mas errou ela muitas outras vezes quando teve oportunidade de igualar o marcador. O Bahia se lançou ao ataque e criou chances claras de gol na reta final do jogo, mas não foi efetivo, mesmo tendo um jogador a mais durante boa parte do segundo tempo. Matheusinho foi expulso após falta em Biel.

Com a derrota, o Esquadrão só não teve o rebaixamento decretado porque Santos e Vasco também perderam seus jogos. Na zona de degola, em 17º lugar, com 41 pontos, o tricolor ainda tem chance de permanecer na elite do futebol nacional, mas não depende apenas das próprias forças para isso se concretizar.

O Bahia joga a última rodada da Série A do Brasileiro contra o Atlético-MG, quarta-feira (6), às 21h30, na Fonte Nova. No mesmo dia, porém mais cedo, às 19h, o América-MG se despede do campeonato em jogo contra o Goiás, no estádio da Serrinha.

De virada

O Bahia passou os minutos iniciais estudando o jogo e teve dificuldade para investir contra a meta adversária. A primeira boa oportunidade tricolor foi registrada aos 20 minutos, quando Biel cobrou escanteio e Kanu cabeceou forte para o chão, como manda o manual, mas o goleiro Jori fez ótima defesa.

Na sequência, Thaciano avançou pela direita e acertou a trave. No lance seguinte, Biel recebeu cruzamento de Gilberto dentro da área e viu Matheus Henrique usar o braço para dominar a bola. O pênalti foi marcado com convicção pelo árbitro Marcelo de Lima Henrique e convertido por Everaldo, aos 25 minutos: 1×0.

A torcida do Bahia presente no estádio Independência ainda comemorava quando o América-MG empatou o jogo. Aos 29 minutos, Emmanuel Martínez cobrou escanteio e Ricardo Silva subiu mais que todo mundo. O zagueiro usou a cabeça e colocou a redonda na rede: 1×1.

O Bahia sentiu o gol sofrido e os donos da casa aproveitaram para arrancar a virada antes do intervalo. Aos 37 minutos, Renato Marques chutou de muito longe e comemorou o placar favorável para o Coelho: 2×1.

No intervalo do jogo, o técnico Rogério Ceni abriu mão de um zagueiro. Sacou Vitor Hugo e mandou o atacante Ademir para campo. O tricolor ainda se organizava quando o América-MG ampliou o placar no primeiro minuto da etapa final. Rodriguinho cruzou bonito e Renato Marques, na pequena área, escorou a bola para a rede: 3×1.

O Bahia buscou a reação com a aposta da etapa final. Na primeira tentativa, Ademir chutou por cima do travessão. Na segunda, ele diminuiu o placar. Aos 11 minutos, o atacante recebeu passe de Cauly dentro da área, driblou o goleiro e recolocou o Esquadrão no jogo: 3×2.

A torcida tricolor puxou o coro de “Eu acredito!” e reforçou ele quando Matheusinho foi expulso de campo, aos 16 minutos, após parar Biel na entrada da área. Em vantagem numérica, o Bahia seguiu perseguindo o gol de empate.

O chute de Kanu fez a bola tirar tinta da trave. Na pequena área, Ademir colocou para fora. Gilberto, de cabeça, também mandou pela linha de fundo. Pelo lado direito, o Bahia protagonizava as ações. Biel colocou pertinho da trave e Ademir desperdiçou bela oportunidade mais uma vez ao errar a pontaria depois de fechar o ângulo. O atacante ainda perdeu outras chances na sequência. O Bahia lutou até a última bola do jogo, mas não conseguiu alterar o marcador e amargou a segunda derrota seguida. Correio da Bahia