Foto: Rafael Rodrigues / EC Bahia

O Bahia voltou ao G4 do Brasileirão após golear o Cruzeiro por 4×1, na tarde deste domingo (23), na Fonte Nova. O Esquadrão começou perdendo, mas fez um segundo tempo eletrizante e aproveitou uma expulsão do adversário para se impor e conquistar o triunfo. Com o resultado, o tricolor chegou aos 21 pontos, a apenas três de distância do líder Flamengo.

Gabriel Veron abriu o placar aos 13 minutos de jogo, mas Thaciano deixou tudo igual nos acréscimos da primeira etapa. No segundo tempo, Marlon foi expulso e veio a virada – e a goleada – tricolor, com Oscar Estupiñán (duas vezes) e Biel.

Com o triunfo, o Bahia manteve a invencibilidade em casa nesta Série A. Aliás, somando todas as competições, o time principal do Esquadrão segue imbatível na Fonte Nova em 2024. Sob o comando de Rogério Ceni, foram 18 jogos no estádio no ano, com 16 vitórias e dois empates. O próximo compromisso será mais uma vez em casa. O tricolor recebe o Vasco na quarta-feira (26), às 21h30, na Fonte Nova, pela 12ª rodada do Brasileirão.

O jogo

Bahia e Cruzeiro entraram em campo para um duelo direto pelo G4. Ainda assim, Rogério Ceni optou por poupar Everton Ribeiro, e Carlos De Pena foi o escolhido para a vaga. Assim como fez contra o Flamengo, o Esquadrão dominou a posse de bola e as iniciativas ofensivas no início da partida. E, da mesma forma que foi no Rio de Janeiro, o tricolor viu o adversário sair na frente do placar após uma jogada muito bem construída. Aos 13 minutos, William lançou Gabriel Veron, que deixou Gabriel Xavier no chão antes de finalizar no canto direito de Marcos Felipe. O bandeira até marcou impedimento, mas o gol foi confirmado após análise do VAR.

O Bahia sentiu o golpe, e o Cruzeiro tentou se aproveitar em roubadas de bola na saída do anfitrião. A Raposa teve chances com Matheus Pereira, mas não conseguiu marcar novamente. Depois de minutos atordoado, o Esquadrão retomou a posse e as ações, mas sofreu para criar por conta de erros bobos. Caio Alexandre e De Pena, os mais ativos pelo lado tricolor, davam início às jogadas, mas não se entendiam com companheiros.

Sem conseguir chegar pelo passe, a primeira chance clara de gol do mandante saiu de um chute de longe: aos 34 minutos, após erro na saída de bola do Cruzeiro, Jean Lucas bateu forte no ângulo, obrigando Anderson a fazer uma bela defesa. O resultado parecia que se manteria até o intervalo. Mas o Bahia encontrou o caminho do gol aos 53 minutos: Everaldo recebeu pela direita, girou rápido e cruzou para a área. A bola desviou na zaga, mas subiu para Thaciano testar entre as pernas do goleiro Anderson: 1×1.

Na volta do intervalo, Ceni optou por Everton Ribeiro e Biel nos lugares de Cauly e Carlos De Pena, respectivamente. Com a mudança, Everaldo, que atuava pelo lado direito, passou a jogar mais centralizado. As alterações surtiram efeito. Aos 9 minutos, Everaldo acertou a trave de fora da área, após pressão no ataque.

O Cruzeiro também mexeu, promovendo as entradas de Arthur e Arthur Viana para ganhar fôlego. Mas tudo mudou aos 22 minutos, quando Marlon foi expulso após entrar por cima em dividida com Gilberto. De maneira imediata, Ceni colocou Estupiñán no lugar de Thaciano. Aos 30, foi ainda mais ousado e tirou Gilberto, para a entrada de Ademir. A decisão precisou de poucos minutos para se mostrar acertada. Aos 32, o camisa 7 recebeu na ponta direita, levantou a cabeça e cruzou para Biel, que só escorou para Estupiñan completar para o gol, assinalando a virada. A partir daí, o Bahia controlou o jogo. Sobrou tempo ainda para Biel deixar o dele, aos 45, e Estupiñan fechar a goleada, aos 51: 4×1. Correio da Bahia