EC Bahia

Para a partida desta quinta-feira, contra o Santos, o técnico do Bahia, Roger Machado, pode contar com mais uma opção: o lateral-esquerdo Moisés está recuperado de lesão e pode voltar a ser relacionado. Moisés está fora de combate há cerca de 20 dias. Sua última partida pelo Bahia foi no dia 9 de outubro, contra o São Paulo, quando ele se machucou ainda no primeiro tempo. De volta, ele falou sobre seu tempo de recuperação, em entrevista coletiva concedida nesta terça, no Fazendão.

– Ficar de fora nunca é bom. Ainda mais no nível em que a gente se encontra hoje. Quando fiz exame, os médicos falaram para mim que constataram uma lesão grau 2, lesão que tem que tomar um pouco mais de cuidado, tem um tempo de recuperação de três a quatro semanas. Sabia que teria que ter paciência para recuperar 100%. Tem todo o processo de fisioterapia, de transição. Com isso, hoje me sinto bem, estou treinando bom bola com o grupo. Agora é pegar o condicionamento físico e ficar à disposição do treinador – afirmou.

Prestes a voltar a campo, Moisés foi questionado a respeito das críticas que vinha sofrendo antes de entrar no departamento médico. Nada que o assuste, na verdade. O jogador diz que entende o lado do torcedor.

– A gente, às vezes, entende um pouco o torcedor. Sabe que critica no jogo na emoção. Giovanni assumiu, foi bem. Infelizmente, nesses quatro jogos que fiquei fora, o time teve três resultados adversos. Não é culpa de Giovanni. Quando perde, perde todo mundo. Quando ganha, ganha todo mundo. Giovanni foi bem, mas a torcida foi um pouco mais no individual. Às vezes, a torcida pega um pouco no meu pé. De um lado, entendo que é para meu bem, sabem do meu potencial, do que podem tirar de mim. Tenho 24 anos, mas não sou mais menino, sou maduro, tenho as costas largas para absorver bem as críticas. A crítica é para algo que tem que melhorar. Algumas críticas, claro, não ajudam, tiro de letra. As outras, quando chego em casa, vejo o que tenho que melhorar e trabalho no dia a dia – disse Moisés.

A chance de mostrar evolução pode ser já nesta quinta, quando o Bahia vai enfrentar o Santos na Vila Belmiro. Moisés avalia a partida e diz que espera uma pedreira em São Paulo.

– Jogo na Vila Belmiro é extremamente difícil. Jogadores rápidos, que tocam bem a bola, time bem treinado por Sampaoli. Jogadores de beirada são muito habilidosos, Soteldo, Marinho. Sasha é um jogador perigoso. Vamos encontrar dificuldades. Mas nosso time é bem treinado, o professor tem conversado com a gente, está montando uma boa estrutura para fazer um ótimo e sair com o triunfo. Com 41 pontos, o Bahia é o 9º colocado da tabela. O Santos está em terceiro, com 52 pontos. Confira outras declarações de Moisés

– Infelizmente, quando o resultado não veio a nosso favor, ainda mais dentro de casa. Vencemos o Grêmio dentro da arena deles. Tinha dois jogos seguidos em casa, contra Ceará e Inter, a expectativa estava lá em cima para vencer os dois jogos e seguir embalado. Entendo o torcedor. Todos entendemos. Dentro de casa não poderíamos perder. É levantar a cabeça, temos mais dez jogos, dez decisões. Sabemos que o Campeonato Brasileiro é muito difícil. Agora temos dois jogos fora de casa para reverter a situação com bons resultados.

– Resultados adversos não vão baixar nossa cabeça. O campeonato ainda não acabou. Temos dez decisões ainda para conseguir nosso maior objetivo. Globoesporte