O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), divulgou nota na manhã desta última sexta-feira (2) em que nega ter feito comentários sobre a perspectiva precoce de indicação de Sergio Moro à corte em sua vaga. A coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo publicou em sua edição desta sexta que colegas do decano disseram que ele teria se incomodado com as especulações em torno de Moro.

 

Celso de Mello só deixará a corte em 2020. “Não procede informação divulgada na mídia, nesta sexta-feira (2), de que o decano do Supremo Tribunal Federal, ministro Celso de Mello, ter-se-ia sentido ‘ultrajado’ com a perspectiva de posterior indicação de Sérgio Moro ao STF, em vaga decorrente da futura aposentadoria do decano”, diz a nota enviada pelo tribunal.

 

O decano nega ter falado sobre o assunto, “O ministro Celso de Mello jamais deu qualquer declaração a respeito do assunto e repudia, veementemente, a notícia divulgada”. Diante das especulações de que os dois ministros que devem deixar o Supremo Tribunal Federal (STF) ao longo do próximo governo poderiam antecipar a aposentadoria, um membro da corte deu a seguinte resposta: “Esquece, ninguém sai”, segundo o Folhapress.