© Fernando Frazão/Agência Brasil

O Brasil atingiu 512 mil casos de dengue em 2024, segundo os dados atualizados pelo Ministério da Saúde.

➡️ Os números incluem o volume de casos confirmados e prováveis, ou seja, que ainda estão em investigação, em todos os estados, de janeiro até 12 de fevereiro.

Também foram confirmadas 75 mortes pela doença. Outras 217 estão em investigação.

📈 Os casos de dengue são quase quatro vezes mais do que os registrados no mesmo período de 2023. À época, foram 128,8 mil notificações.

📊 O Distrito Federal e os estados de Minas Gerais, Acre, Paraná, Goiás, Espírito Santo e Rio de Janeiro têm o maior índice da doença.

🦟🦟🦟 Considerada pelo ministério como a arbovirose urbana mais prevalente nas Américas, principalmente no Brasil, a dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti.

De acordo com o Ministério da Saúde, a projeção do aumento de casos da doença se deve a fatores como a combinação entre calor excessivo e chuvas intensas (possíveis efeitos do El Niño) e ao ressurgimento recente dos sorotipos 3 e 4 do vírus da dengue no Brasil.

➡️ Segundo o Ministério da Saúde, com a alta consecutiva e em proporções maiores que as já vistas nos anos anteriores indicam que o país possa chegar aos 4,2 milhões de casos.

A imunização começou na última semana, mas com volume limitado de doses e de forma progressiva. O primeiro lote vai ser destinado a crianças de 10 a 11 anos, segundo a pasta.

A vacinação vai cobrir cerca de 500 cidades, cerca de 10% do volume total de municípios brasileiros. Além disso, só vão ser vacinadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) crianças de 10 a 14 anos.

O volume é por limitação de produção do laboratório, a Takeda. O Ministério da Saúde vai receber pouco mais de 6 milhões de doses — 5,2 milhões foram compradas e 1,3 foram doadas. G1