Durante a inauguração do primeiro trecho da Linha Vermelha, via que liga a avenida Paralela à Estrada Velha do Aeroporto, ontem (23), o governador Rui Costa buscou afagar a figura do ex-governador Jaques Wagner, que teve um ex-secretário estadual, preso hoje pela 56ª. fase da Lava Jato, junto com empresários baianos acusados de superfaturarem a obra de construção de um edifício da Petrobras no Itaigara.

 

Um vídeo em que Rui aparece fazendo o gesto na direção de Wagner, pedindo que ficasse próximo dele para registro dos fotógrafos e TVs, foi publicado pelo governador em sua página no Twitter, acompanhado da frase: “Foi ele quem assinou o contrato da #LinhaVermelha! Eu era secretário e pude participar desde o início. Bom ter o senador @wagner aqui comigo!”.

 

O ex-secretário de Desenvolvimento Urbano no governo de Jaques Wagner (PT) e ex-diretor da OAS na Bahia Manuel Ribeiro e o ex-presidente da OAS Elmar Varjão foram presos na operação da Polícia Federal na Bahia, deflagrada na sexta-feira para apurar suposto superfaturamento na construção da sede da Petrobras em Salvador. Além de Ribeiro e Varjão, o empresário Mario Cesar também foi preso preventivamente na capital baiana.

 

O ex-presidente da OAS já havia sido preso em 2015, na operação Vidas Secas, que investigou suspeita de desvio de R$ 200 milhões nas obras de Transposição do Rio São Francisco. Marice Correa, cunhada do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, também foi presa temporariamente em outro estado.