A disputa pela cadeira do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) da Bahia, que fica vaga em dezembro deste ano, com a aposentadoria do conselheiro Fernando Vita, tem movimentado a política estadual. O deputado estadual e ex-prefeito de Santo Antônio de Jesus, Rogério Andrade, é um dos nomes cogitados para a eleição.

A indicação de Andrade resolveria um problema do PT em Vitória da Conquista, terceira maior cidade da Bahia. Isso porque a vereadora de Vitória da Conquista Lúcia Rocha (MDB), suplente do deputado Rogério Andrade, é pré-candidata a prefeita. Se aceitar e for eleito para o TCM, ela assumiria a vaga e seria um empecilho a menos na cidade para o pré-candidato do PT, o deputado federal Waldenor Pereira.

A questão é que o TCM é visto como uma espécie de aposentadoria para um político ativo como Rogério Andrade, que tem aspirações maiores em sua carreira. O deputado já foi prefeito de Santo Antônio de Jesus e é considerado um dos líderes do MDB na Bahia.

A bancada do governo na Assembleia Legislativa se reuniu nesta quarta-feira (22) para tratar da disputa pela cadeira do TCM. Há quatro deputados estaduais candidatos: Roberto Carlos (PDT), Fabrício Falcão (PCdoB), Paulo Rangel (PT) e Rogério Andrade. As pretensões dos dois primeiros já eram amplamente conhecidas.

O líder do governo na Assembleia, deputado Rosemberg Pinto (PT), anunciou as quatro candidaturas, todas da base governista, nesta quarta, após conversar com a bancada, e defendeu que o indicado seja um membro da Casa. Ele contou que levou esse pleito para o governador Jerônimo Rodrigues (PT).

“Eu informei ao governador desse pleito dos deputados de que o nome do TCM seja de um membro da Casa, e o governador não costuma interferir nessas questões do Legislativo. Mas é lógico que mais adiante eu vou ouvi-lo, até porque a opinião dele é importante para a nossa bancada”, disse Rosemberg.

“Tivemos duas reuniões hoje e a centralidade do debate foi a disputa pelo TCM. Nas duas, ouvi a reivindicação dos colegas de que o próximo conselheiro do tribunal, cuja prerrogativa de indicação é da Assembleia, seja um deputado estadual. Já chegaram até mim os pleitos dos deputados Fabrício Falcão, Roberto Carlos, Paulo Rangel e Rogério Andrade. Também chegou o do ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos), que precisamos analisar se cabe nessa reivindicação, já que ele não é parlamentar de mandato na Casa no momento”, acrescentou o petista.

Além dos deputados estaduais, há outros nomes de fora da Assembleia interessados na cadeira de conselheiro, inclusive o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Brito, que é deputado federal licenciado. Além dele, também postulam a indicação os deputados federais Daniel Almeida (PCdoB) e Josias Gomes (PT).

Este ano, os deputados escolheram a ex-primeira-dama Aline Peixoto para o TCM. A Assembleia tinha a prerrogativa de fazer a indicação, mas aceitou a pressão do ex-governador Rui Costa (PT), atual ministro da Casa Civil, para emplacar a esposa.