Deputados estaduais pertencentes à Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) decidiram criar uma subcomissão para investigar a execução dos contrato da Coelba Neoenergia junto à União, responsável pela energia elétrica consumida em todo o país, e junto ao governo do estado, que realizou a privatização da empresa.

Os trabalhos devem ser iniciados na próxima terça-feira (22), sob o comando do deputado Robinson Almeida (PT), escolhido para ser o coordenador da subcomissão. Também integram o colegiado Cláudia Oliveira (PSD), Eures Ribeiro (PSD) e Tiago Correia (PSDB). Procurado, Robinson afirmou que a iniciativa partiu da própria ALBA, sem interferência do governo do estado, demonstrando a força e a independência do parlamento baiano.

“Essa é uma iniciativa da Assembleia, depois de uma audiência pública onde 23 deputados se pronunciaram. E todos, de diversas regiões da Bahia, se manifestaram contrariamente aos serviços prestados pela empresa. A insatisfação é muito grande em todo o estado”, declarou o petista.

A pretensão dos parlamentares é que, ao final dos trabalhos na subcomissão, a ALBA consiga apresentar ao governo da Bahia um relatório acerca do que precisa ser feito para melhorar o serviço prestado no estado.

Recentemente, deputados estaduais de governo e de oposição se juntaram para tentar instalar uma CPI (comissão parlamentar de inquérito) para investigar a atuação da Coelba. Apesar da autorização da mesa diretora para isso, a apuração nem chegou a ser iniciada, pois as bancadas não indicaram membros para compor os trabalhos. BNews