Foto: Jorge Jesus/bahia.ba

Após 35 anos da promulgação da Constituição Federal, completados na última quinta-feira (5), apenas sete parlamentares da Câmara dos Deputados continuam ativos na Casa legislativa. Entre eles, dois baianos: Lídice da Mata (PSB) e Sergio Brito (PSD). Este último, apesar de ser secretário de Infraestrutura no governo Jerônimo, possui mandato.

Lídice soma 40 anos à frente de cargos políticos. A primeira experiência dela foi em 1983, quando exerceu o mandato de vereadora em Salvador. Em 1987, chegou à Câmara e participou da Assembleia Nacional Constituinte. Ela era integrante da chamada Bancada do Batom, que lutava por direitos às mulheres na construção do texto constitucional. Após a experiência na Câmara, ela se tornou a primeira prefeita eleita em Salvador. Foi ainda deputada estadual e senadora.

“Hoje, mais do que nunca é fundamental celebrar e fortalecer os direitos garantidos pela nossa Constituição, especialmente a democracia. Através do voto, nós escolhemos os representantes do povo, considerado uma cláusula pétrea, intocável na nossa Constituição. Não podemos permitir que extremismo e ataque antidemocráticos ameacem o nosso maior bem: a democracia. A Constituição Federal de 1988 completa 35 anos e mostra cada vez mais a sua relevância”, comemorou a deputada.

Já Sérgio Brito teve o seu primeiro mandato justamente como membro da Assembleia Nacional Constituinte de 1987. Já ocupou, também, secretarias na prefeitura de Salvador e foi vereador da cidade entre 2003 e 2007. Sérgio é filho do ex-deputado Henrique Brito. Desde fevereiro, está licenciado do mandato na Câmara para assumir a Secretaria de Infraestrutura do governo da Bahia.

“Muito orgulho e alegria de ter participado desse momento tão único e especial do Brasil. A Constituição de 1988 mudou grandes conceitos da sociedade, garantiu a democracia, os direitos do cidadão e positivou que o importante são as pessoas. O documento da liberdade, da dignidade, da democracia, da justiça social do Brasil”, disse o Brito.

Promulgada em 5 de outubro de 1988, a Constituição Federal restabeleceu a eleição direta para presidente da República, o equilíbrio entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, e consagrou direitos fundamentais dos cidadãos. O texto foi construído com ampla participação popular por 20 meses e marcou o fim da ditadura militar e a retomada da democracia no Brasil. Política Livre