Reprodução

Relator da reforma tributária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, João Roma (PRB) defendeu a proposta de acabar com as isenções fiscais no país.  O item divide políticos. Para o parlamentar Daniel Almeida (PCdoB), a medida pode prejudicar a Bahia, que teria dificuldade de competir com estados do Sul e Sudeste na atração de empresas.

Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto defendeu o fim das isenções desde que a medida seja aplicada em todo o país. Roma entende que estados devem conquistar empresas por meio de políticas de desenvolvimento e não de isenção fiscais.

“A maneira correta de fazer desenvolvimento é através de política de desenvolvimento. É com aporte de recursos do governo. E não com isenção fiscal, que, muitas vezes, é injusta”, declarou ao Bahia Notícias.

Para Roma, a proposta, que altera o sistema tributário, não será vetada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), mesmo não tendo sido elaborada pelo governo. “Essa reforma alia sentimentos, que hoje tanto o Legislativo quanto o Executivo enxergam a importância e a necessidade disto para o Brasil”, pontuou.

Ainda na entrevista, o deputado do PRB defendeu a reforma da Previdência. Disse que a “tendência” do seu partido é fechar questão a favor do texto. Também falou sobre a reforma administrativa do governo Bolsonaro e sobre o retorno do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Economia. Bahia Notícias