O ministro Edson Fachin do STF (Supremo Tribunal Federal) deu 5 dias, a contar de 3ª feira (16.abr.2019), para que o ministro Alexandre de Moraes apresente informações sobre o inquérito de ofensas ao STF, que investiga “notícias fraudulentas” e levou ao pedido de retirada do ar de uma reportagem. As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

O pedido surge após o partido Rede Sustentabilidade ter pedido pela revogação do pedido de Alexandre de Moraes. O partido afirmou que houve censura. Moraes ordenou que a reportagem “o Amigo do amigo do meu pai”, publicada pela revista Crusoé e pelo portal O Antagonista, saísse do ar.

O processo aberto pela Rede está sob relatoria do ministro Edson Fachin. Como prosseguimento, solicitou a justificativa de Moraes e pediu que a PGR (Procuradoria Geral da República) se manifeste sobre a remoção das notícias.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, indicou que houve desrespeito na decisão de Moraes, e pediu arquivamento do processo ao STF. O ministro negou, e o presidente do Supremo, Dias Toffoli, determinou abertura da investigação por mais 90 dias. Informações do Poder360