Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

Presidente de honra do MDB, Lúcio Vieira Lima disse ao Política Livre que o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União) estimula o presidente Lula a participar ativamente da campanha na cidade ao criticar o PT e o governo federal. Para o dirigente, o vice-governador Geraldo Júnior (MDB), que aposta na nacionalização da disputa, se fortalece com isso.

“Ele (Neto) coloca ainda mais Lula no palanque de Geraldo Júnior ao atacar o governo federal e o PT. Depois de fazer isso, o ex-prefeito vai se queixar novamente de que perdeu a eleição para o presidente, como fez em 2022, quando foi derrotado pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT). A maior demonstração de força de Lula a gente vê quando o adversário tenta diminuir a influência dele na disputa eleitoral. Deveriam deixar ele quieto, mas ficam cutucando a onça com vara curta”, disse Lúcio.

O presidente participou, esta semana, em Salvador, do desfile cívico da independência da Bahia ao lado de Geraldo Júnior. Em entrevista à Rádio Sociedade, declarou pela primeira vez, de forma mais explícita, apoio ao emedebista. Antes, em conversa com a imprensa de Feira de Santana, onde também cumpriu agenda, o petista voltou a chamar ACM Neto de “grampinho”. O ex-prefeito, que estimula a candidatura do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União), à Presidência em 2026, respondeu com críticas ao governo.

Para Lúcio, o fato de o União Brasil ocupar ministérios no governo federal não será um obstáculo para a presença de Lula na campanha do aliado. “O partido do ex-prefeito já definiu o lado deles em Salvador e na Bahia, tanto que o PL do ex-presidente [Jair Bolsonaro] apoia a reeleição do prefeito Bruno Reis (União). Eles estão no governo por mero fisiologismo, não é ideológico. A campanha aqui será nacionalizada porque temos os apoiadores de Lula de um lado e do ex-presidente, mesmo que de forma mais envergonhada, do outro”, concluiu. Política Livre