linkedin

Felipe Nunes, diretor da Quaest Pesquisa e Consultoria, afirmou neste domingo (3) que o eleitorado brasileiro tem uma visão “bem racional” sobre o que foi a Operação Lava Jato. Em entrevista à GloboNews, Nunes comentou os números da pesquisa Quaest divulgada também neste domingo. A pesquisa apontou que 42% dos brasileiros afirmam que a Lava Jato acabou por ações de políticos para barrar a operação.

Já 25% afirmam que houve exageros e erros por parte dos investigadores e juízes envolvidos na operação. Outros 22% não responderam à pergunta, enquanto 8% acreditam que, em 2021, a corrupção no governo havia acabado e já não havia mais nada para investigar.

A Lava Jato está completando 10 anos neste mês. Começou como uma investigação de lavagem de dinheiro em um posto de combustíveis e acabou chegando a um esquema criminoso de fraude, corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobras.

Autoridades e políticos foram presos, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas algumas decisões da operação, inclusive a prisão de Lula, foram suspensas ou cassadas por instâncias superiores da Justiça, que viram irregularidades no processo legal aplicado nas investigações.

“Na minha avaliação, 10 anos depois, nesta última década pós Lava Jato, me parece que os eleitores brasileiros têm visão bem racional sobre o que foi essa operação”, afirmou Nunes. A força-tarefa da Lava Jato do Paraná, onde as investigações começaram, terminou em fevereiro de 2021, após a publicação de uma portaria da Procuradoria-Geral da República em dezembro de 2020.

Importância do combate à corrupção

Para Nunes, o eleitor brasileiro dá muita importância para o combate à corrupção. Por isso, ficou um sentimento de frustração na sociedade com alguma escolhas da Lava Jato e os rumos da operação.

“A operação como um todo, a intenção da operação, a ideia de se combater a corrupção na política é, por si só, uma ideia bem vista na sociedade, mesmo que as pessoas reconheçam que e difícil e que os políticos façam de tudo para que isso não chegue neles”, explicitou o diretor da Quaest.

Para ele, a população gostaria que a Lava Jato tivesse atingido o objetivo a que ela havia se proposto. “A população gostaria que a operação nãoo tivesse tomado o rumo que tomou, em relação às escolhas, alguns exageros, porque, no fundo, a população considera, sim, que a Lava Jato seria importante para o país”, concluiu. G1