Em carta à ex-presidente Dilma Rousseff, seu antecessor no Planalto, Lula, desejou forças para ela “resistir atacando e não se defendendo”. O texto foi divulgado por Dilma no sábado (15), um dia após o seu aniversário. “Dilminha, aqui estou preparado para enfrentar o Moro e as mentiras da minha condenação. Dilma, meu lema agora é: não troco a minha dignidade pela minha liberdade. Feliz Natal”, afirmou o petista.

 

Na carta, Lula parabeniza a ex-presidente e deseja “toda sorte do mundo”. Lula está preso desde abril na sede da Polícia Federal em Curitiba. Ele foi condenado, no ano passado, a nove anos e seis meses por corrupção e lavagem de dinheiro pelo ex-juiz Sergio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

 

A condenação foi aumentada para 12 anos e um mês em janeiro deste ano pela oitava turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Ele é réu em outros sete processos. Sua defesa nega que ele tenha cometido qualquer irregularidade. No dia 23 de novembro, Dilma também se tornou ré junto a Lula sob acusação de organização criminosa no processo referente ao caso conhecido como “quadrilhão do PT” segundo informações do Folhapress.

 

À época, a comitiva nacional do partido disse que o processo se tratou de “um delírio acusatório” do ex-procurador-geral Rodrigo Janot”