Agência Brasil

As vendas no comércio varejista baiano registraram, em junho de 2020, uma variação positiva de 7,0%, em relação a maio, na série com ajuste sazonal. Na comparação com com junho de 2019, houve recuo de 12,6%. No semestre, a taxa do volume de negócios foi negativa em 11,3%. Esses dados foram apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – realizada em âmbito nacional – e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento.

Por atividade, os dados revelam que, em uma comparação com o ano anterior, três segmentos que compõem o indicador do volume de vendas registraram comportamento positivo. São eles: Móveis e eletrodomésticos (23,7%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (6,0%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,4%).

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção apresentou crescimento de 11,9% em relação a maio, na série com ajuste sazonal. Em relação a material de construção, as vendas no mês de junho foram positivas em 41,6%, na comparação com o mesmo mês de 2019.

“O crescimento das vendas do varejo do mês de junho, em relação a maio, reflete um impacto menor do quadro de isolamento social diante da pandemia do coronavírus no comércio. Vale ressaltar que no resultado de maio, em comparação a abril, também foi registrado crescimento, que foi de 10,3%”, ressalta o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.