Para prefeitos e outros aliados, não há mais dúvidas de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por causa do litígio com o ex-prefeito ACM Neto (DEM), planeja assegurar, da maneira que puder, o máximo protagonismo político ao ministro da Cidadania, João Roma, na Bahia. Em evento recente no interior, um deles relata ter ouvido, pelo viva voz, o exato momento em que o presidente ligou para o ministro e lhe disse textualmente: – Estou dizendo, pô. Quero que você tome conta das obras federais na Bahia! A fisionomia de Roma se abriu. O relato casa com outro relacionado a visita recente que o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), teve em Brasília com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para tratar do tema mais importante hoje da agenda de qualquer gestor municipal. Circula em Brasília que, ao tomar conhecimento de que o encontro ocorrera, Bolsonaro passou a mão no telefone e recomendou, em tom impositivo, que Queiroga só voltasse a tratar de qualquer assunto relacionado à Bahia e a Salvador na presença de Roma. (Política Livre)