Gil Leonardi / Imprensa MG

Após fala polêmica, ao menos dois ministros do governo Lula (PT), governadores nordestinos, palamentares e até apoiadores, criticaram as declarações do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

Entre eles estão o ministro da Justiça, Flávio Dino, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PV), o governador do Piauí, Rafael Fonteles (PT), além do deputado federal Aécio Neves (PSDB) e o ex-ministro do Turismo de Bolsonaro, Gilson Machado (PL).

Flávio Dino afirmou que a fala de Zema atenta contra a Constituição. “Traidor da Constituição e traidor da pátria. Absurdo que a extrema-direita esteja fomentando divisões regionais”. Já Marina Silva destacou que o tamanho da população não pode ser o único critério para medir a importância política de cada região e que, sem a Amazônia, “não tem como o Brasil sequer ter vida”.

“Sem a Amazônia não tem como ter agricultura, não tem como ter indústria, não tem como o Brasil sequer ter vida, no Sul, no Sudeste, no Centro-Oeste, porque a ciência diz que seria um deserto como o do Atacama ou o Deserto do Saara. Quem mede o nosso peso pela nossa quantidade precisa entender um pouco mais de qualidade”, afirmou a ministra do Meio Ambiente.

O chefe do executivo estadual do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) usou as redes sociais para criticar as falas de Zema. “Sobre a entrevista do Governador Zema (MG) para o jornal Estado de SP, é importante deixar claro que é sua opinião pessoal. O ES participa do Cosud para que ele seja um instrumento de colaboração para o desenvolvimento do Brasil e um canal de diálogo com as demais regiões”, declarou o governador no Twitter.

Aécio Neves (PSDB), deputado federal e ex-governador de Minas Gerais, também criticou Zema, por meio de uma nota. No documento, ele disse que a defesa de MG não pode ser feita “estabelecendo alvos ou discriminando regiões”.

“Infelizmente, o governador Zema, talvez por não ter se expressado da forma adequada, acabou por criar mais problemas que as soluções que busca. Sempre precisamos e muitas vezes contamos com alianças com outras regiões, em especial o Nordeste brasileiro. Minas nunca foi antagônico às regiões mais pobres do país, até porque fazemos parte delas, muito menos imaginou liderar esse antagonismo”, afirmou o deputado federal

Até mesmo o ex-ministro do Turismo, o bolsonarista Gilson Machado (PL), teceu criticas ao governador gaúcho nas redes sociais. No ato, o ex-ministro também foi apoiado pelo advogado e assessor de Bolsonaro (PL), o Fabio Wajngarten: “Parabéns, Gilson. O Brasil é nordestino”, disse.

Até a noite do último domingo (6), apenas o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), havia se manifestado redes sociais, por meio de um vídeo, em apoio à declaração de Zema. BNews