Foto: Alberto Maraux/SSP-BA

Policiais civis e militares e agentes do Departamento de Polícia Técnica (DPT) da Bahia receberão o Prêmio por Desempenho Policial (PDP) com 35% de acréscimo. O aumento fez parte de um pacote de reestruturação da Segurança Pública que foi votado e aprovado.

O Governo do Estado publicou na edição do Diário Oficial desta quinta-feira (7), as regras para a concessão do prêmio. Segundo a gestão estadual, o PDP é uma forma de estimular, reconhecer e valorizar o desempenho dos servidores, que atuaram na “redução das mortes violentas no primeiro semestre de 2023”, no combate ao crime.

De acordo com governo, a Bahia apresentou nos seis primeiros meses deste ano uma diminuição de 4% dos assassinatos, na comparação com o mesmo período de 2022. As unidades policiais que nas suas áreas de atuação alcançaram redução de 6% (meta estipulada) receberão o maior valor. Ganharão prêmios menores os efetivos lotados em unidades da Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC) e DPT que conseguiram reduções equivalentes a 50% e 20% da meta estipulada.

Criado em 2011, o Governo do Estado informou que já pagou através do PDP cerca de R$ 322 milhões para 256 mil policiais que diminuíram as mortes violentas nas suas respectivas áreas. Entre 2016 e 2022, os assassinatos recuaram 22,5% na Bahia.

O anúncio do prêmio foi publicado no Diário Oficial em meio a uma onda de violência que o Estado vive. Em Salvador, diversas trocas de tiros e ações com 17 reféns liberados têm feito moradores do bairro do Alto das Pombas, em Salvador, deixarem as suas casas.

Desde domingo (3), 11 pessoas foram mortas em confronto com a Polícia Militar e oito foram presas no Alto das Pombas e Calabar, bairro vizinho. Mais de 15 armas foram apreendidas. A noite de terça e a madrugada de quarta (6) foram marcadas por tiroteios em outros dois bairros da capital baiana: Engenho Velho de Brotas e Nordeste de Amaralina. G1