agencia senado

O deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PL), filho 03 do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), voltou a atacar as urnas eletrônicas usadas nas eleições no Brasil. O parlamentar também insinuou que o país vive uma ditadura, ao fazer uma comparação do Brasil com ditaduras por, supostamente, haver uma perseguição contra jornalistas bolsonaristas. A fala do deputado aconteceu em entrevista ao apresentador da “Fox News”, o conservador norte-americano, Tucker Carlson.

Na ocasião, o filho 03 de Bolsonaro criticou as urnas eletrônicas enquanto criticava o sistema eleitoral brasileiro por causa da inelegibilidade do próprio pai. Vale lembrar que o ex-chefe do executivo brasileiro foi condenado e ficou inelegível em dois processos de três frentes condenatórias. Foram elas, o abuso de poder político, o uso abusivo dos meios de comunicação e o abuso do poder político e econômico.

Ao falar sobre este assunto, Eduardo Bolsonaro voltou a propagar “fake news” sobre as urnas eletrônicas brasileiras e levantou suspeitas sobre a lisura das eleições de 2022 no Brasil. Eduardo disse também que as urnas não permitem recontagem, o que não é verdade, já que é possível conferir os votos de cada urna por meio do Boletim de Urna (BU), que é impresso ao final de cada votação. É também possível comparar as informações das impressões com os dados disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Não posso acusar que as eleições foram fraudulentas, mas também não podem provar que não foram. Se usar máquinas para votar sem ter uma forma de ao menos recontar os votos, devemos confiar 100% no sistema. Então, eles não permitem mais transparência nas eleições”, Eduardo Bolsonaro.

Cabe destacar que as eleições de 2022, ganhas pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foram acompanhadas pela Organização dos Estados Americanos (OEA). A entidade emitiu um parecer constatando a segurança e a eficiência das urnas eletrônicas brasileiras. O Tribunal de Contas da União (TCU) também fez auditorias nas urnas e confirmou a lisura do equipamento e de todo o processo eleitoral brasileiro.

Ditadura?

Nessa mesma entrevista, Eduardo Bolsonaro fez uma comparação polêmica. O filho 03 do ex-presidente Bolsonaro comparou o Brasil com algumas ditaduras vistas em países pelo mundo. Isso porque, segundo ele, está havendo uma perseguição aos jornalistas brasileiros Rodrigo Constantino, Paulo Figueiredo e Allan dos Santos. Vale lembrar que os três estão residindo nos Estados Unidos da América (EUA) e são investigados por disseminarem “fake news” e incitaram os ataques antidemocráticos de 8 de janeiro de 2023.

Contra Alan dos Santos tem um pedido de prisão preventiva e uma ordem de extradição. Inclusive ele é proibido de usar as redes sociais, coisa que ele descumpre constantemente. Já contra Rodrigo Constantino, que também teve as redes sociais suspensas, há uma investigação do Ministério Público Federal (MPF) sobre o caso sobredito. O último é Paulo Figueiredo, neto de João Batista Figueiredo, último presidente da ditadura militar, que é investigado por propagar “fake news” sobre os atos antidemocráticos. Ele também compôs o grupo que aderiu ao golpe de Estado e incitou os militares a aderirem ao movimento, em especial em programas televisivos e nas redes sociais. BNews