© Cléverson Oliveira/MCom

No dia seguinte ao segundo turno das eleições presidenciais de 2022, o ex-ministro das Comunicações, Fábio Faria, enviou um e-mail com uma sugestão de discurso para que Jair Bolsonaro, derrotado em sua busca pela reeleição, reconhecesse a derrota para o atual presidente Lula (PT). O ex-presidente, contudo, jamais leu o texto publicamente. As informações são do jornal O Globo.

O texto de Faria foi enviado Às 16h de 31 de outubro de 2022 ao ex-ajudante de ordens Daniel Lopes de Luccas, e ao ex-ministro das Relações Exteriores, Carlos França. Na proposta de discurso, Bolsonaro prometeria não contestar o resultado das eleições, mas se colocaria como uma “vítima do sistema”.

“Eu sempre disse que o Brasil está acima de tudo e Deus acima de todos e que daria minha vida pelo Brasil. Por esse motivo, não contestarei o resultado das eleições”, diz trecho do discurso que Bolsonaro não quis ler. Em outro trecho, ele afirmaria que “Todos são testemunha do quão desigual foi o processo eleitoral”.

O discurso também reclamava de uma suposta “manipulação dos institutos de pesquisa e da grande mídia” e do bloqueio dos “grandes perfis de direita” nas redes sociais, mas reconhecia a derrota. “Mesmo assim, a diferença no resultado da votação em favor de meu adversário foi de apenas 1,8%. Estou certo de que, se houvesse imparcialidade e igualdade de tratamento, o resultado seria muito diferente.”

O pronunciamento que o ex-presidente escolheu fazer em 1º de novembro teve pouco mais de 2 minutos. Na ocasião, ele disse ter “indignação e sentimento de injustiça” no processo eleitoral, fazendo uma alusão aos protestos que seus apoiadores fizeram nas rodovias do país contra o resultado eleitoral. “Somos pela ordem e pelo progresso”, disse na ocasião, repetindo o lema da bandeira nacional e dizendo-se favorável a “manifestações pacíficas”.

“É uma honra ser o líder de milhões de brasileiros que, como eu, defendem a liberdade econômica, a liberdade religiosa, a liberdade de opinião, a honestidade e as cores verde e amarela da nossa bandeira. Muito obrigado”. Último Segundo